A varfarina sódica, princípio ativo de Marevan, é um anticoagulante utilizado para evitar que o sangue forme coágulos dentro dos vasos, situação que causa os trombos. Dessa forma, o medicamento age na coagulação sanguínea de modo a evitar a trombose e, simultaneamente, a ocorrência de sangramento espontâneo.

Esta capacidade que o corpo tem de manter o sangue dentro do vaso é denominada de hemostasia. Os medicamentos, como por exemplo o Marevan, interfere no sistema de coagulação, fatores solúveis no plasma que apresentam capacidade de induzir a formação de coágulos. E, apesar de muitas pessoas acreditarem que esses medicamentos afinam o sangue, na realidade eles não deixam o sangue menos espesso, mas, sim menos propenso a coagular.


Quando o mecanismo de coagulação ocorre de forma normal, todo este processo envolve diversas substâncias, dentre elas as plaquetas, fatores de coagulação, anticoagulantes e fibrinolíticos. O fígado é responsável pela produção dos fatores de coagulação e em seguida trabalha para formar o coágulo de sangue.


Para que o fígado produza fatores de coagulação, quantidades adequadas de vitamina K devem estar disponíveis. No entanto, anticoagulantes orais bloqueiam a disponibilidade de vitamina K e limitam, dentre outras ações, a produção de fatores específicos da coagulação, como os fatores II, VII, IX e X. Como resultado, o mecanismo de coagulação é alterado e a pessoa leva mais tempo para ter seu sangue coagulado.

Quem precisa tomar o anticoagulante?


A Varfarina ou Marevan, também chamado de Marcoumar, dentre outros nomes, são medicamentos prescritos para pacientes que são mais propensos a ter coágulos de sangue, em termos médicos, são pacientes que possuem um risco maior de trombose. A ação do fármaco é rápida e totalmente absorvida após a administração oral. Porém, o início da ação anticoagulante só ocorre de 24 a 72 horas após a ingestão do medicamento, e seu efeito pode durar de 72 a 96 horas. Sendo assim, uma única dose de Marevan® pode servir de 2 a 5 dias.


Outro detalhe é que o uso do anticoagulante é válido para as pessoas com maior risco de trombose por outras condições como os indivíduos que têm válvula metálica ou um ritmo irregular no coração, chamada fibrilação atrial e aqueles que desenvolveram coágulos anteriormente, como as pessoas que tiveram derrame, ataque cardíaco, Trombose Venosa Profunda (TVP) e embolia pulmonar.


O medicamento também é indicado para pessoas que desenvolveram coágulos prejudiciais anteriormente, incluindo os que tiveram derrame, ataque cardíaco, ou TVP. Além disso, o fármaco pode ser usado para impedir que um coágulo existente apresente crescimento maior do que o já apresentado.

Dose


A dose do medicamento, seja o anticoagulante oral do tipo varfarina ou femprocumona, é ajustada individualmente, para que o RNI esteja sempre no intervalo terapêutico. O TAP e RNI devem ser monitorizados frequentemente até que a dose apropriada seja determinada. Uma vez que o paciente está em uma dose estável, o RNI é monitorizado menos frequentemente, geralmente a cada 4 semanas. Muitos grupos internacionais entendem que deve existir um registro da dose utilizada e resultado de RNI para que a monitorização seja otimizada.


A dose do medicamento pode precisar de ajuste periodicamente por vários motivos, como:

Alterações na dieta;

Aderência ao medicamento, ou seja, a capacidade de tomar a medicação de forma regular e da exata forma como foi prescrita;

Introdução, retirada ou mudança na dose de outros medicamentos em uso concomitantemente;

Alterações individuais do metabolismo que podem ocorrer por inúmeros motivos, como alterações cardíacas, renais e hepáticas;

Estados hipercatabólicos, como quando se está com infecção e após grandes traumas;

Diarreia por qualquer causa;

Variações genéticas;

Consumo de álcool e tabaco.

Efeitos colaterais


A maior complicação associada aos anticoagulantes é o sangramento devido a anticoagulação excessiva. Sangramento excessivo, ou hemorragia, podem ocorrer em qualquer parte do corpo. Nesse caso, o mais recomendável é que o paciente avise sempre que houver quedas, acidentes, assim como equimoses em grande quantidade ou extensas, sangramentos na boca e narinas.


Nos lugares em que o clima é mais seco, o sangramento nas narinas é comum e melhora com aplicação de soro fisiológico nasal, mas, caso não haja melhora dentro de 30 minutos, a assistência médica deve ser realizada. Também deve ser informado ao médico imediatamente se a pessoa apresentar sangue na urina, fezes com sangue ou na cor de borra de café, ou vômitos com sangue.


Quando a medicação utilizada é a varfarina ou femprocumona, o RNI deve ser determinado naquele momento e ajustes devem ser feitos, caso seu valor esteja acima da faixa terapêutica. Além disso, a varfarina pode causar necrose de pele ou gangrena, que pode levar ao aparecimento de áreas vermelho-escuras ou pretas na pele. Esta complicação é rara e costuma ocorrer nos primeiros dias de tratamento.

Se você atua na área da saúde e deseja saber de maneira aprofundada sobre hematologia, saiba que o Instituto Monte Pascoal tem a pós-graduação certa para você. Conheça e se matricule na especialização em Hematologia Clínica e Banco de Sangue, Hemoterapia e Terapia Celular "Dupla Certificação". Obtenha dois certificados em menor tempo e faça a diferença no meio profissional.


Fonte: Consulta Remédios e Instituto Goiano de Oncologia e Hematologia (INGOH)

Imagem: 123RF