A Púrpura Trombocitopênica Imune (PTI), também conhecida como Púrpura Trombocitopênica Idiopática (ou Imunológica) é uma doença hemorrágica, caracterizada pela diminuição da quantidade de plaquetas, ou seja, os trombócitos presentes no sangue. Trata-se de uma enfermidade que apesar de atingir uma pequena parcela da população, pode acometer qualquer pessoa, independente de raça ou idade, sendo mais presente em mulheres do que em homens.


Quando a pessoa está com baixo número de plaquetas ela costuma apresentar sangramentos espontâneos, hematomas e pequenas manchas vermelhas chamadas de petéquias. Nesse sentido, o nome Púrpura é uma referência às manchas roxas que surgem na pele dos pacientes.


Causa


A PTI é uma doença autoimune, isto significa que em algum momento o sistema imunológico, ou seja, os glóbulos brancos atacaram erroneamente alguma parte do próprio corpo de uma pessoa. No entanto, o sistema imunológico tem como função defender nosso corpo, especialmente contra as infecções. Este sistema utiliza anticorpos para reconhecer e neutralizar os corpos estranhos, mas, quando todo esse processo ocorre de maneira errada a consequência é a doença autoimune.

Embora não se saiba ao certo o que causa a PTI, existem múltiplos fatores que estão provavelmente envolvidos, tais como infecções ou alguns medicamentos. Certos casos aparecem após uma infecção viral ou bacteriana, imunizações, exposição a uma toxina, ou em associação com outra doença, tal como lúpus ou HIV.

Vale ressaltar que a PTI não é considerada uma doença que pode ser transmitida de uma geração a outra. Além disso, décadas de estudos sobre a resposta imune apontam que o corpo pode reagir de forma exacerbada após uma infecção e produzir anticorpos que se ligam às plaquetas, marcando-as como "estranhas". Estas plaquetas são então rapidamente removidas.

O que significa a doença PTI


A ação combinada do baço, que destrói as plaquetas, e dos anticorpos contra as plaquetas, leva a uma destruição maior das plaquetas;

As plaquetas produzidas não são suficientes para compensar a destruição que sofrem pelo sistema imunológico;

Haverá a falta de plaquetas, conhecida como trombocitopenia, e a coagulação ficará deficiente.

Já os outros componentes do sangue, como os glóbulos vermelhos e brancos, permanecem normais.

Sinais e Sintomas


Os sangramentos ocorrem quando a contagem das plaquetas está muito baixa. Há hemorragia pelo nariz, gengiva, sistema gastrintestinal e pelo trato urinário. Nas mulheres pode haver hemorragia menstrual.

Outros sintomas são a formação de manchas na pele, pequenas e pontilhadas ou maiores e uniformes. Edemas e dores nas pernas também são relatados. A principal causa de morte é a hemorragia cerebral espontânea, pelo baixo número de plaquetas.

Tratamento


Apesar de existirem casos mais sérios que podem até levar a óbito, a maioria dos casos de PTI pode ser controlado. Sendo assim, o uso de medicamentos à base de corticosteroides é indicado para proporcionar o aumento das plaquetas, mas deve ser ministrado com bastante atenção por conta de efeitos colaterais.

A administração de doses de imunoglobulina por via intravenosa também é útil. Em alguns casos, recomenda-se a retirada do baço. Novos tratamentos que estimulam a produção de plaquetas em nível medular também estão sendo desenvolvidas.

Que especialista procurar?


O ideal é procurar um Hematologista, ou imunologista.

Se você atua na área da saúde e deseja aprofundar seu conhecimento acerca da hematologia, saiba que o Instituto Monte Pascoal possui uma pós-graduação completa para você. Conheça e se matricule na especialização em Hematologia Clínica e Banco de Sangue, Hemoterapia e Terapia Celular "Dupla Certificação". Obtenha dois certificados em menor tempo e se torne um (a) profissional ainda mais capacitado (a) para atuar no mercado de trabalho.



Fonte: Muitos Somos Raros e Abrale

Imagem: 123RF