Para realizar exames de imagem é necessário o uso de radiação ionizante e é por esse motivo que tanto o paciente quanto o profissional que realiza o procedimento precisam estar amparados com a proteção radiológica. Isso porque, exames que envolvem esta radiação exigem algumas precauções específicas em função do contato com essas partículas, que têm o potencial de causar efeitos indesejáveis no organismo quando não controladas.

A radiação ionizante é uma energia capaz de modificar moléculas e suas fontes podem ser naturais ou artificiais. Nesse caso, as fontes naturais são materiais existentes em nosso meio ambiente capaz de emitir, naturalmente radiação ionizante, ou seja, elementos químicos naturais. Já as fontes artificiais são o equipamento ou material, criado ou modificado pelo homem, capaz de emitir radiação ionizante como por exemplo, os aparelhos de raios-x.

Os principais tipos de radiações ionizantes para as ações de proteção radiológica são:

Raios X;

Raios gama;

Radiação beta;

Radiação alfa.


Princípios Gerais de Proteção Radiológica

Para aprimorar as condições de proteção radiológica, existem alguns princípios, sendo eles: tempo, distância e blindagem.

Tempo: Menor tempo possível de exposição a fonte de radiação;

Distância: Maior distância possível da fonte de radiação;

Blindagem: Blindagens adequadas para a exposição da fonte de radiação.

Por que é necessário utilizar EPIs na radiologia?


O Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) são utilizados para garantir a segurança de todos os que estão envolvidos no procedimento, tanto para quem está trabalhando quanto para quem está sendo submetido à radiologia. Eles são dispositivos fabricados sob rígidos padrões e qualidade, destinados à proteção das pessoas contra possíveis riscos para a sua saúde ou para a sua segurança durante o exercício de uma determinada atividade.

A presença da radiação dos equipamentos, responsáveis por realizar diagnóstico por imagens, e também das substâncias radioativas utilizadas para exames tornam o profissional vulnerável. O problema maior é que os perigos são imperceptíveis no curto e no médio prazo, fazendo com que doenças só sejam diagnosticadas tardiamente.

Em pequenas doses, a radiação é indolor, mas a rapidez com que penetra no organismo pode fazer com que os trabalhadores negligenciem sua própria biossegurança. É por isso que se torna muito importante a utilização dos equipamentos de proteção, principalmente pelo fato do nosso corpo conter órgãos mais sensíveis à radiação como os olhos, o aparelho reprodutor, a tireoide e a medula óssea.

Importante lembrar que, diferentemente do examinado, os profissionais envolvidos em radiologia estão constantemente expostos à região. Daí a necessidade de se tomarem medidas para controlar as doses e evitar que a radiação esteja em contato com o organismo.

Principais EPIs de proteção radiológica?


Devido as consequências radiobiológicas, que podem causar esterilidade, catarata radiogênica, morte celular e até mutação genética, é muito indicado e benéfica a redução da absorção da radiação por profissionais da área da saúde que tratam de radiologia. Por isso, certos EPIs de proteção radiológica são fundamentais, tais como:

Aventais de chumbo


Os aventais de chumbo devem, como função primordial, impedir a penetração da radiação ionizante nas regiões do tórax e do abdômen. Alguns modelos, ainda, podem proteger as costas. No caso do paciente, esse equipamento é utilizado quando a área a ser avaliada não é nenhuma dessas duas.

Protetores de tireoide


Os protetores de tireoide são confeccionados com borracha plumbífera flexível na forma de um grande colar, sendo utilizados no pescoço da pessoa. Esses protetores são muito importantes, tanto para os técnicos quanto para os pacientes.

Luvas de chumbo


As luvas de chumbo são EPIs utilizados para proteger a região das mãos de cirurgiões que possam ser expostos à radiação ionizante durante a realização de procedimentos cirúrgicos, nos quais são usados raios-x para, por exemplo, guiar os cateteres.

Óculos plumbífero


Os óculos plumbíferos tem a função de impedir a penetração da radiação durante as cirurgias assim como as luvas de chumbo utilizadas nas mãos.

Protetor de gônadas


Os protetores de gônadas foram desenvolvidos para evitar que a radiação cause infertilidade de homens e mulheres. Os dispositivos protegem os aparelhos reprodutores e evitam que a radiação chegue até os ovários e o saco escrotal.

O produto vem em forma de uma espécie de avental colocado da cintura para baixo. Embora seja um dispositivo negligenciado, ele também é importante para os locais em que a radiação é uma constante.


Uso do dosímetro pessoal


O dosímetro é um dispositivo que apesar de não se enquadrar como um EPI, tem como função registrar e controlar a radiação recebida pelo profissional durante todo o seu período de trabalho, de forma que possa prevenir quaisquer danos contra a saúde desse indivíduo.

Ao final do período de um mês, é recebido um relatório que indica qual foi a dose de radiação recebida pelo funcionário, de forma que, caso o limite aceitável seja ultrapassado, a empresa possa investigar e tomar as medidas necessárias para que isso não ocorra novamente.

Se você já possui formação seja na área de Tecnologia em Radiologia, biomedicina, Físico Médico ou áreas afins, e deseja aprofundar seu conhecimento em radiologia, conheça a especialização em Radioterapia do Instituto Monte Pascoal. Faça a sua matricula e se torne um (a) profissional capacitado (a) para atuar neste segmento.



Fonte: New Imagem Diagnóstico e Radcare

Imagem: 123RF