Entre os diversos tratamentos complementares utilizados para combater inúmeras doenças, a ozonioterapia é uma delas. Essa técnica consiste em administrar gás de ozônio no corpo de pessoas que possuem problemas de saúde ou que buscam cuidados estéticos. O ozônio é um gás composto por 3 átomos de oxigênio que tem importantes propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e antisépticas, além de melhorar a oxigenação dos tecidos e fortalecer o sistema imune.

A terapia feita com uso do ozônio funciona interrompendo processos não saudáveis no corpo, como o crescimento de bactérias patogênicas em casos de infecção, ou impedindo alguns processos oxidativos, podendo ser usado para melhorar diversos problemas de saúde.


Dessa forma, existem diversos tipos de tratamento com ozônio, sendo eles:


Auto-hemoterapia


Considerado um dos métodos mais utilizados, nesse procedimento, cerca de 50 a 100 ml de sangue do paciente são retirados com uma seringa. Após essa coleta, o sangue é tratado com ozônio e oxigênio e, em seguida, devolvido ao paciente com uma injeção intramuscular.

Essa técnica pode ser utilizada para tratar herpes, artrite, câncer, doenças cardíacas e infecção pelo HIV. Mas, vale ressaltar que, as pessoas que moram nas áreas urbanas e nos países industrializados também possuem um risco maior de desenvolver inflamações intestinais. Locais mais frios também aumentam a propensão.

Insuflações retais


Uma mistura de ozônio e oxigênio é introduzida pelo reto e absorvida pelo intestino. É utilizado em diversos problemas de saúde, como colite ulcerosa, e é considerado um dos métodos mais seguros.


Injeção intramuscular


Assim como ocorre no método anterior, neste também mistura ozônio e oxigênio. A injeção é de até 10 ml e geralmente nas nádegas, como outras injeções. Esta aplicação é ideal nos tratamentos com ozônio para alergias e inflamações. Também serve como auxilio nos tratamentos contra o câncer.

Aplicação intra-arterial e intravenosa direta


Nesse procedimento, uma seringa é usada para injetar, lentamente, uma mistura de ozônio e oxigênio. Essa técnica é voltada para os tratamentos de distúrbios circulatórios arteriais, porém, não é muito utilizada.


Água ozonizada


Utilizado de forma externa, o gás ozônio é borbulhado na água, e usado para lavar feridas, queimaduras e infecções de pele com cicatrização lenta. Os dentistas também a utilizam como desinfetante.


Na Rússia, a água ozonizada é utilizada para irrigar as cavidades do corpo nas cirurgias. Também serve para problemas intestinais e ginecológicos, como úlceras duodenais, gastrite, diarreia e vulvovaginite.

Injeção intra-articular


Assim como na água ozonizada, o gás ozônio é borbulhado na água, porém, nesse caso, a mistura é injetada entre as articulações. A injeção intra-articular é usada nos tratamentos de ozônio contra reumatismo, artrite e outras doenças que prejudicam as articulações.

Ensacamento de ozônio


Esse procedimento é indicado principalmente no tratamento de úlceras nas pernas, gangrena, infecções por fungos, queimaduras e feridas de cicatrização lenta. Para isso, um plástico especial é colocado no entorno da área que será tratada. Por último, a mistura de ozônio e oxigênio é bombeada para dentro do saco e absorvida pela pele.

Óleo ozonizado


O óleo ozonizado é mais convencional nos tratamentos de feridas e infecções da pele. Além disso, pode ser utilizado para eliminar bactérias ou parasitas intestinais patogênicos. Outra atribuição do óleo ozonizado é agitá-lo perto das gengivas para melhorar a higiene bucal.

Se você atua na área da saúde e deseja saber de maneira mais aprofundada sobre a ozonioterapia e também unir seu conhecimento com a área da estética, saiba que o Instituto Monte Pascoal tem a pós-graduação certa para você. Matricule-se na especialização em Estética Contemporânea e Estética Ortomolecular "Dupla Certificação" e faça a diferença no meio profissional.


Fonte: Saúde com ozônio e Tua Saúde

Imagem: 123RF