O prazer sexual tanto para homens quanto para mulheres deve vir acompanhados de certos cuidados como, por exemplo, a higiene entre as duas pessoas. O ato de lavar as mãos pode evitar doenças como a candidíase, infecção genital causada por um fungo. Esse e outros hábitos podem ajudar na saúde corporal, por isso veja quais sãos os cuidados que devem ser tomados após o sexo.


De acordo com o site do Serviço de Saúde Pública do Reino Unido (NHS) homens e mulheres precisam cuidar adequadamente de suas áreas íntimas, e a plataforma explica como.


Homens


No caso dos homens, os médicos indicam lavar o pênis com água morna diariamente durante o banho, dando atenção especial à área sob o prepúcio para evitar o acúmulo de esmegma, um agente antibacteriano que também atua como lubrificante.

De acordo com o psicólogo clínico e especialista em sexologia, Vicente Briet, em relação ao esmegma o principal tratamento são os bons cuidados de higiene com o pênis. Além do mais, se acumular pode começar a cheirar mal e se tornar o terreno ideal para a proliferação de bactérias. A falta de cuidados pode provocar vermelhidão e inchaço da cabeça do pênis, que é chamado de balanite.

"É muito surpreendente quantos homens não lavam embaixo do prepúcio. Eles não apenas tendem a ter complicações derivadas da falta de higiene, mas também é muito desagradável para sua parceira sexual", escreve Patrick French, médico especialista do site do NHS na saúde sexual.

No entanto, especialistas do site NHS não recomendam o uso de sabonete e gel de banho em excesso, eles argumentam que água morna já é suficiente. Mas, se o sabão for utilizado as opções mais aconselháveis são os suaves ou sem cheiro que diminuem os riscos de irritação na pele.


Briet explica que não basta limpar a superfície do pênis, mas que o prepúcio precisa ser retraído para que a água e o sabão também atuem na região da glande. "Principalmente nas partes do pênis mais escondidas pelo frênulo peniano, é conveniente usar um sabonete neutro para limpar os órgãos sexuais e enxaguar com bastante água. "

Mulheres


Já no caso das mulheres os especialistas em saúde sexual afirmam que há desinformação, por mais que tenha uma indústria dedicada à higiene vaginal. "A vagina é projetada para ser mantida limpa com a ajuda de secreções naturais. Não precisa de duchas ou lenços vaginais...existem muitas bactérias dentro da vagina que estão lá para protegê-la", diz o site do NHS.

Segundo a especialista Thamara Martínez, a higiene da vulva pode ser feita com sabonetes e produtos especializados. "Ainda assim, dependendo da pessoa, podem causar irritação e aumentar o risco de infecções. O que eu recomendo é lavar com água pelo menos uma vez ao dia."

Outro hábito que a sexóloga não aconselha é a ducha. "Os riscos são muito maiores do que os benefícios que oferecem, por isso recomendamos não utilizá-los. "

Dentre as possíveis complicações ou reações adversas na região intima, estão: mudanças no PH (o potencial de hidrogênio da pele); ardor e coceira; diminuição do muco cervical (que é responsável pela lubrificação da vagina); reações alérgicas; maior risco de desenvolver infecções; complicações que podem surgir durante a gravidez, como o aumento do risco de parto prematuro.


Briet explica que apesar de existir cremes hidratantes ou reparadores para combater a irritação ou coceira na região íntima feminina, "o que se deve evitar são aquelas tendências inúteis de perfumar suas partes com desodorantes, colônias ou sabonetes com odores que favoreçam a irritação de pele e torná-la mais vulnerável a possíveis ataques bacterianos".


Além disso, o especialista argumenta o seguinte: "A vagina normalmente se limpa sozinha. As paredes produzem seu próprio fluido que carrega células mortas e outros microrganismos para fora do corpo".

Homens e mulheres


A dica que os sexologistas dão para homens e mulheres é urinar antes e depois da relação sexual. "Urinar após a relação sexual é uma das melhores medidas para evitar contrair infecções indesejadas, seja na forma de micróbios, bactérias ou secreções", esclarece Martínez.

"Ir ao banheiro no final das relações sexuais ajuda a expulsar tudo o que surgiu, purificando-o e evitando que chegue a órgãos sensíveis como a bexiga...urinar antes é de vital importância, principalmente para ter relacionamentos satisfatórios e não ter sensações desconfortáveis. ", explica o especialista.

O sexólogo também ressalta que as mulheres são mais propensas a terem infecções do trato urinário e por isso devem se acostumar a urinar 15 minutos após a penetração. Isso porque de acordo com a pesquisa publicada no The Journal of Family Practice em 2002, as mulheres fazem esse procedimento de urinar após a relação sexual podem ter uma probabilidade ligeiramente menor de desenvolver uma infecção do trato urinário do que aquelas que não o fazem.

Principais recomendações


Limpeza diária dos órgãos genitais com água;

Limpeza das mãos, boca e dentes;

Use roupa íntima limpa e, se possível, não de tecido sintético;

Consulte o seu médico e faça exames de rotina uma vez por ano;

Autoexame por observação direta e palpação para identificar mudanças na forma, coloração, secreções, tamanho e / ou textura;

Uso de preservativos nas relações sexuais;

Se você optar pelo sexo anal, deve evitar inserir o pênis no ânus e posteriormente na vagina, pois isso favorece o desenvolvimento de infecções;

Raspar todos os pelos pubianos não é recomendado, pois os pelos geralmente são uma proteção para os genitais, é melhor apará-los, mas não removê-los completamente.

Se você atua na área da biomedicina mas, tem interesse em aprofundar seus estudos no campo ginecológico, então, conheça e matricule-se na especialização em Citopatologia Ginecológica do Instituto Monte Pascoal. Amplie seu conhecimento e faça a diferença sendo um (a) especialista no mercado de trabalho.



Fonte: BBC

Imagem: Envato Elements