Diversas pessoas possuem o funcionamento do intestino desregulado devido a prisão de ventre, mas, não sabem a importância dos probióticos para o equilíbrio da flora intestinal. Os probióticos nada mais são do que as bactérias consideradas boas, que estão localizadas no intestino para a saúde geral do organismo, facilitando a digestão, a absorção de nutrientes, além de fortalecer o sistema imunológico do corpo.


O uso de antibióticos ou a falta de alimentação saudável e equilibrada provocam o desequilíbrio intestinal. Dessa forma, o intestino passa a ter bactérias consideradas ruins, nas quais, não auxiliam o sistema imunológico e deixam o organismo mais propenso a adquirir doenças.


Dentre os principais benefícios dos probióticos estão:


Prevenção de doenças, tais como: colite, síndrome do intestino irritável, doença de Crohn, inflamação intestinal, câncer, candidíase, hemorroidas e infecção urinária;

Melhora a digestão e também combate a azia;

Combate a prisão de ventre e a diarreia, equilibrando o transito intestinal;


Eleva a absorção de nutrientes, como cálcio, vitamina B12 e ferro;


Fortalece o sistema imunológico, pois, aumenta a produção de células de defesa chamadas macrófagos;

Impede a proliferação de bactérias ruins no intestino;

Ajudar a digerir a lactose, principalmente em quem tem intolerância à lactose;

Prevenir problemas como obesidade, colesterol alto e hipertensão;

Prevenir alergias e intolerâncias alimentares;

Ajuda a melhorar o humor, uma vez que foi identificada uma relação direta entre o equilíbrio da flora intestinal com uma diminuição de doenças como a depressão e a ansiedade;

Ajudar no tratamento do autismo, isso porque alguns estudos indicaram que o uso de probióticos pode ter impacto não são a nível gastrointestinal, mas também a nível comportamental, melhorando a habilidade de concentração e escuta.

Manter a flora intestinal saudável e rica em probióticos deve começar a ser formado desde o nascimento, principalmente quando o bebê nasce por parto normal e quando é amamentado com exclusividade durante o início da vida.

As formas mais utilizadas de consumo dos probióticos são por meio de alimentos ricos em probióticos naturais ou com o uso de suplementos que contenha.


Alimentos probióticos


Iogurte natural: são a principal e mais fácil fonte de probióticos no mercado, mas também existem versões de iogurtes com sabor que mantém as bactérias benéficas vivas;

Kefir: é um produto fermentado com levedura e bactérias que fica parecido com o iogurte, mas possui um teor mais elevado de probióticos;

Leite fermentado: são produtos especiais que geralmente contêm Lactobacillus adicionados pela indústria, sendo o Yakult o mais famoso;

Kombucha: uma bebida fermentada feita principalmente a partir do chá preto;

Podutos orientais à base de soja: legumes e verduras, como Miso, Natto, Kimchi e Tempeh, que podem ser comprados em lojas especificas para esses produtos;

Chucrute: é feito a partir da fermentação das folhas frescas do repolho ou da couve;

Picles: para fazer esse alimento, os pepinos são colocados em água e sal, deixando fermentar por um tempo;

Levedura natural: é um cultivo composto por leveduras e bactérias que são naturalmente encontradas no ambiente, e que pode ser utilizado na preparação de diversos produtos, como pães, tortas e bolos.

Certos queijos também podem conter cultivos vivos de microrganismos com propriedades probióticas, sendo importante ler a etiqueta nutricional para confirmar a presença das bactérias.

Para manter a flora saudável, aconselha-se o consumo de pelo menos 1 alimento fonte de probióticos por dia, especialmente durante e após o uso de antibióticos, que acabam destruindo a flora intestinal saudável também.

Suplementos de probióticos


Os probióticos consumidos em suplementos podem ser em cápsulas, líquidos ou saches, todos precisam ser diluídos em água ou sucos naturais. O PB8, Simfort, Simcaps, Kefir Real e Floratil, são alguns exemplos de suplementos com probióticos e podem ser encontrados em farmácias e lojas de produtos nutricionais.

Quanto maior a diversidade de probióticos, assim como o número de bactérias dentro de cada comprimido, melhor será o suplemento, pois facilitará o desenvolvimento mais rápido de uma flora intestinal saudável.

Dessa forma, o recomendado é que o suplemento tenha entre 2 e 10 bilhões de bactérias ativas, sendo importante ler a etiqueta nutricional do produto, que deve indicar a quantidade de microrganismo por dose e qual a bactéria, isso porque é importante escolher a que seja melhor de acordo com a situação que deve ser tratada.

Em relação ao tempo de uso do suplemento, o ideal é consumir durante 4 semanas e se acaso não surtir melhora neste período, é melhor trocar o suplemento. Os probióticos devem ser ingeridos antes ou logo após uma refeição, para que os alimentos ajudem as bactérias a sobreviver ao ácido gástrico e a chegar até ao intestino, onde podem se multiplicar mais facilmente.

Vale ressaltar que o consumo de probióticos na forma de suplementos ou de alimentos ricos nessas bactérias, seja acompanho com uma alimentação saudável ricas em fibras, pois as fibras são os principais alimentos para os probióticos, favorecendo sua sobrevivência no intestino.

Se você atua na área da biomedicina e deseja ampliar seu conhecimento a aprimorar suas técnicas profissionais, comece sua especialização em Microbiologia Aplicada ao Laboratório Clínico na Incursos. Se torne um especialista e faça a diferença no mercado de trabalho.



Fonte: Tua Saúde

Imagem: 123RF