A pandemia do novo coronavírus se alastrou por praticamente todas as partes do mundo, países que demoraram ter casos de covid-19 passaram a ter a doença. No entanto, até o momento 10 lugares do mundo não sofreram nenhum caso de óbito devido a covid-19 e muito menos casos de contaminação. Veja quais foram esses países e saiba qual foi a razão para isso acontecer.


Países sem casos de Covid-19


Palau

Micronésia


Ilhas Marshall


Nauru


Kiribati


Ilhas Salomão


Tuvalu


Samoa


Vanuatu


Tonga

A pequena ilha de Palau, localizada no Oceano Pacífico, tem como base de sua economia o turismo. Só em 2019, 90 mil turistas visitaram o país, o equivalente a cinco vezes a quantidade populacional do lugar. Segundo dados do Fundo Monetário Internacional (FMI), em 2017, a ilha de Palau mostrou que 40% de seu produto interno bruto (PIB) deve-se ao turismo.


Entretanto, a economia do lugar mudou com a chegada do covid-19 pelo mundo. Dessa forma, as fronteiras de Palau fecharam desde o final de março. É um dos 10 países do mundo sem casos confirmados, sem contar a Coreia do Norte e Turcomenistão.


Cerca de 4 mil km a leste, as ilhas Marshall também permanecem livres da doença, porém a crise financeira também chegou por lá. O Hotel Robert Reimers, por exemplo, fica em uma faixa de terra no atol principal, Majuro, com uma lagoa de um lado e o oceano do outro. Antes da covid-19, os 37 quartos tinham uma taxa de ocupação entre 75% e 88%, com hóspedes principalmente da Ásia, Pacífico ou "do continente" (Estados Unidos). Mas, desde o fechamento das fronteiras no início de março, essa taxa tem sido de 3% a 5%.

Nas Ilhas Marshall o problema maior é a economia por meio da indústria pesqueira. Para manter o país sem contaminação da doença, os barcos que estiveram em países infectados estão proibidos de entrar nos portos do país. Outras embarcações, incluindo petroleiros e navios-contêineres, devem passar 14 dias no mar antes de entrar. As licenças de pesca não foram vendidas e os voos de carga foram cortados.

Já na ilha de Vanuatu, na qual, há 300 mil habitantes, o médico Len Tarivonda, diretor de saúde pública, afirma que a maioria dos habitantes não querem que a fronteira seja reaberta, pois, caso contrário estarão condenados. Além disso, cerca de 80% das pessoas vivem fora das cidades e da economia considerada formal.

"Minha avaliação é que eles não necessariamente sentem esse impacto ainda. São agricultores de subsistência, cultivam seus próprios alimentos — dependem da economia local tradicional", comenta Tarivonda.


Apesar disso, o Banco Asiático de Desenvolvimento tem a perspectiva de que o PIB de Vanuatu cairá quase 10%, sendo a maior queda desde a independência do país em 1980. Porém, essa queda na economia não é só por causa da pandemia do novo coronavírus, mas, também do ciclone tropical Harold que em abril atingiu grande parte do país, matando três pessoas e afetando mais da metade da população.


Viagens transfronteiriças menores e específicas podem ajudar Vanuatu. O governo recentemente permitiu que 172 trabalhadores viajassem para o Estado Território do Norte, na Austrália, por seis meses para colher mangas. Embora as remessas ajudem, não são suficientes em um país onde 35% do PIB vem do turismo.

Mas, apesar da necessidade de fronteiras abertas, Vanuatu não tem pressa em reabrir. Tarivonda cita como exemplo a vizinha Papua Nova Guiné, que estava quase livre de covid-19 até registrar um aumento acentuado no final de julho. "Se o vírus vier, provavelmente será como um incêndio florestal, e o que estamos vendo em Papua-Nova Guiné é um reflexo de por que estamos preocupados", diz ele.


Previsão de queda no PIB 2020


Vanuatu - 9,8%


Palau - 9,5%

Ilhas Salomão - 6%


Ilhas Marshall - 5,5%


Samoa - 5%.

Se você atua na área da saúde e gosta de estar sempre atendo as curiosidades que acontecem pelo Brasil e o mundo, que tal se atualizar e ampliar seu conhecimento? Conheça a especialização em Microbiologia Aplicada ao Laboratório Clínico da Incursos, se torne um especialista no assunto e faça a diferença no mercado de trabalho.



Fonte: UOL

Imagem: 123RF