O hemograma é o exame mais realizado no mundo, isso porque o procedimento sanguíneo serve para verificar o estado de saúde geral do paciente, para monitorar a recuperação de doenças, entre diversas outras razões. Na coleta de sangue realizada estão os leucócitos, ou glóbulos brancos como também são conhecidos, nos quais são células produzidas pela medula óssea que têm a função de defender o organismo contra doenças, infecções e alergias.

Os leucócitos são considerados uma parte importante do sistema imunológico, e a sua contagem avalia a resposta do organismo à diferentes doenças, principalmente as que são causadas por vírus ou bactérias, infecção pelo HIV e aos tratamentos radioterápico e quimioterápico. O exame também pode identificar vários tipos de leucemia, além de acompanhar a função da medula óssea.

Os leucócitos


Há cinco tipos principais de leucócitos: linfócitos, neutrófilos, eosinófilos, basófilos e monócitos. Cada um deles desempenha uma função diferente para proteger o organismo. Os linfócitos, por exemplo, representam cerca de 25% do total de células brancas no sangue, porém, seu número costuma variar muito. Já os monócitos destroem bactérias e outras partículas estranhas e representam entre 2% e 8% do total de leucócitos. Os seus tipos normalmente são analisados separadamente quando é solicitado o exame com contagem diferencial dos leucócitos, enquanto o número total pode ser obtido numa contagem simples.


Quantidade de leucócitos


O número de leucócitos considerados normais irá depender da idade e sexo da pessoa, além disso, alguns laboratórios podem usar formas diferentes de mensurar a quantidade o que faz com que os valores variem um pouco. No entanto, esse número costuma ficar na faixa dos 4.500 aos 10.000 glóbulos brancos/mcL. Os exames podem ser pedidos com contagem de leucócitos ou contagem diferencial de leucócitos, esse segundo se difere do outro por ser mais detalhado e facilitar para o médico na confirmação do diagnóstico sobre algum problema específico que cause a sua alteração. Dentre os tipos de leucócito, o valor costuma ficar dividido em:


Linfócitos: 20% a 40%

Neutrófilos: 40% a 60%

Eosinófilos: 1% a 4%

Basófilos: 0,5% a 1%

Monócitos: 2% a 8%

O que significa o aumento no número de leucócitos no exame?


Resultados anormais como aumento geral do número de leucócitos é chamado de leucocitose e pode estar relacionado a uma infecção bacteriana, inflamação, leucemia, traumatismo, exercícios intensos ou estresse.

E o número reduzido de leucócitos quer dizer o que?


Quando o número de leucócitos é menor que o normal é chamado de leucopenia. Esse resultado pode estar relacionado à quimioterapia ou radioterapia e doenças imunológicas.

Os resultados alterados


Quando é solicitada a contagem diferencial de leucócitos, o seu resultado demonstrará as diferentes proporções de seus tipos no sangue. Geralmente, resultados alterados podem ser:

Aumento de neutrófilos: infecções bacterianas, reações inflamatórias ou distúrbios da medula óssea como leucemia mieloide crônica.

Redução de neutrófilos: infecções graves e respostas a medicamentos, como a quimioterapia.

Aumento de eosinófilos: resposta a reações alérgicas, inflamações de pele e infecções por parasitas.

Aumento de linfócitos: infecções virais.

Diminuição dos linfócitos: presença de doenças que afetam o sistema imunológico, como lúpus eritematoso disseminado e HIV.

Aumento dos monócitos: presença de infecções ou distúrbios inflamatórios.

Portanto, qualquer resultado de exame deve ser avaliado juntamente com a história clínica do paciente e apenas um médico poderá interpretar o verdadeiro significado do resultado.

Leucócitos no ‘xixi’


Por meio de um exame de urina pode ser possível observar a presença de leucócitos na urina. Quando há pequenas quantidades isso é normal, uma vez que quando os glóbulos brancos envelhecem, eles são eliminados pela urina. No entanto, durante algumas infecções do trato urinário ou outras doenças mais graves, como alguns tipos de câncer, é possível encontrar altos índices de leucócitos na urina.


Com o resultado, o médico deve indicar o tratamento correspondente ao problema que está causando a presença de leucócitos na urina. Mas, vale ressaltar novamente que para obter o diagnóstico, o especialista levará em conta a história clínica do paciente e outros exames realizados.

Se você atua na área da saúde e deseja ampliar seus estudos e conhecimentos para se posicionar melhor no mercado, então, comece sua especialização em Hematologia Clínica e Banco de Sangue na Incursos. Seja um especialista no assunto e faça a diferença no meio profissional.



Fonte: Minha Vida

Imagem: Envato Elements