Para quem procura um curso superior e se interesse pela área da saúde, a graduação em biomedicina é uma boa opção. Com várias possibilidades de atuação, a essência da profissão do biomédico está no estudo e identificação de microrganismos que causam doenças, com base nisso, desenvolver pesquisas que podem chegar a novos medicamentos e vacinas. Por se tratar de uma área muito técnica, o bacharel em biomedicina precisa ter um perfil analítico, crítico e metódico, além de ser bastante organizado e de ter bom raciocínio lógico.

Entre os locais de trabalho estão, principalmente, hospitais, institutos de pesquisas, laboratórios de análises clínicas e, claro, a indústria de medicamentos. Mas o profissional não se restringe à pesquisa de remédios: são mais de 30 áreas possíveis de atuação, que incluem biomedicina estética, genética, toxicologia e até acupuntura.

Apesar de ser uma profissão que tem um papel importante na manutenção da saúde pública, ainda existem muitos mitos em torno do papel do biomédico e da graduação na área – suposições que podem afastar o interesse de novos profissionais. Para esclarecer dúvidas, separamos aqui alguns deles:

1 - biomedicina é curso de saúde, por isso não tem cálculo. MITO

Cálculos químicos, estatísticas (mais precisamente bioestatística) e biofísica fazem parte do dia a dia de quem estuda biomedicina. Portanto, é errado dizer que a matemática não deve ser uma preocupação de quem quer ser biomédico. No entanto, os cálculos não são complexos e com um pouco de dedicação é possível dominá-los.

2 - Biomédico trabalha somente em laboratório. MITO

Como já falamos, o biomédico pode atuar em mais de 30 áreas. A graduação vai fundamentar os conhecimentos básicos para que o profissional comece a definir a área de atuação. Mas uma especialização vai permitir que ele defina seu futuro profissional e o ambiente de trabalho com base no seu perfil e nas áreas com que tem mais afinidade.

3 - O curso de biomedicina tem bastante aula prática. VERDADE

Desde o primeiro semestre, os alunos de biomedicina já têm aulas práticas em laboratórios e, até o final da graduação, o curso é repleto de prática.

4 - Biomédico também é médico. MITO

Um médico e um biomédico têm em comum o fato de ambos buscarem melhorar a saúde das pessoas. No entanto, enquanto o médico faz isso ao tratar doenças diretamente nos pacientes, o biomédico faz estudos e pesquisas que podem contribuir para o desenvolvimento de medicamentos e vacinas que vão evitar doenças.

5 - Biomédico pode ser perito criminal. VERDADE

Frequentemente, para atuar como perito criminal – o profissional da polícia que faz análises científicas de vestígios de delitos e análise forense de amostras biológicas – é necessário ter graduação em biomedicina. Por se tratar de um trabalho importante e altamente técnico, os profissionais precisam ser aprovados em concursos públicos direcionados à profissão.

6 - biomedicina é uma profissão que está em alta. VERDADE

Das muitas áreas que envolvem a biomedicina, algumas delas estão muito em alta, como a de Auditoria Biomédica, Colpocitologia Oncótica, Hemoterapia e Terapia Celular, Análises Clínicas e Toxicológicas.

7 - As decisões de um médico podem resultar do trabalho de um biomédico. VERDADE

A relação de trabalho entre o médico e o biomédico é complementar: o biomédico pode fazer a análise dos dados e informações coletadas pelo médico e ajudar a chegar a um diagnóstico preciso. Além disso, o biomédico pode trabalhar na concepção de novos tratamentos de doenças que, em seguida, serão administrados pelos médicos a fim de promover a cura.

Fonte de texto: biomedicina-e-a-profissao-de-biomedico.ghtml" target="_blank"> G1