Para os homens que estão perdendo os fios de cabelo não é nada fácil, alguns aceitam e outros procuram uma forma de tratamento para prevenir ou diminuir a queda capilar.Segundo a Dermatologista, Poliana Portela, a calvície é uma condição crônica do couro cabeludo, é a manifestação da perda capilar em pessoas geneticamente predispostas, não necessariamente hereditária.

"As pessoas que possui tendência a ficar calvo tem receptores hormonais nos folículos do couro cabeludo, quando os hormônios se ligam a estes receptores há um desencadeamento de respostas inibitórias na raiz do folículo e isso começa a enfraquecer a raiz do cabelo até um ponto de começar a afinar. Em algumas pessoas ele não nasce mais e em outras ele nasce só uma penugem", explica Poliana.

Um dos principais fatores que influenciam no desenvolvimento da calvície é a genética e os hábitos alimentares. Para a dermatologista, a alimentação deve ser prosseguida por meios de carboidratos e alimentos que sejam a base de glicose. É importante lembrar que uma alimentação saudável ajuda a proteger, porém, se a pessoa tiver genética não tem como prevenir.


De acordo com ela, a calvície se manifesta a partir da adolescência, o surgimento da calvície é variável, ela pode aparecer em alguns entre os 16 anos, outros aos 18 anos, e assim sucessivamente, a idade não influencia de quando poderá aparecer a queda de cabelo.

Juliano tem 35 anos e conta que sofre com a queda de cabelo desde os 25 anos. " Há um ano atrás eu comecei a fazer um procedimento estético na Clínica Anis com injetável no couro cabeludo. O tratamento é excelente e realmente funciona, e já se percebe a diferença entre 3 a 4 meses após o início do tratamento", afirma.


O tratamento é continuo, pode ser feito à base de comprimidos, aplicação de loção no couro cabeludo, tratamentos de laser com baixa energia associada aos injetáveis, e no caso se não tiver resultado a solução é a cirurgia ou o uso de peruca. "Depois que a raiz do cabelo está em uma fase muito inibida, no qual o cabelo praticamente "morreu" só cirurgia mesmo, que tira da área onde não tem o receptor para os hormônios e coloca na área receptora de acordo com o desenho e a vontade do paciente", afirma a dermatologista.


A área na qual não tem receptor fica na parte da nuca, pois contem folículos com o menor número de receptores ou sem os receptores que vão ter Di – hidrotestosterona (DHT) que liga e inibi o folículo do cabelo, por isso essa parte não é afetada. Os dermatologistas indicam vários medicamentos, como por exemplo, ingestão de vitaminas, um remédio que diminua a atividade da enzima que faz a transformação do hormônio. Tendo também no mercado outros remédios que ajudam a combater a enzima.

"Os efeitos colaterais dos medicamentos são as caspas, podendo ter também diminuição de libido, por isso é feito uma investigação hormonal, podendo diminuir volume de espermatozoide no espermograma", diz Poliana.

O normal da queda de cabelo é de 100 a 150 em média. Sempre que estiver caindo muito cabelo é recomendável que procure um dermatologista para realizar exame de sangue. Calvície não tem cura, mas tem um controle e um retardo da doença, cada pessoa reage de forma diferente ao tratamento, uns mais rápidos outros mais lentos.


Autor: Raquel Lima

Fonte de imagem: http://www.ma10.com.br