Os leucócitos são a células de defesa do nosso corpo, quando este está sendo atacado por outros seres desconhecidos, eles identificam, se mobilizam e atacam o seu oponente. O leucograma é uma parte do hemograma, no qual é responsável por fazer o quantitativo e o qualitativo dos leucócitos no sangue do paciente.

O hemograma é o exame mais solicitado, feito para dar o quantitativo e o qualitativo nos elementos sólidos do sangue (plaquetas, hemácias e leucócitos). O hemograma é divido em três partes, são elas; Eritograma, realiza a contagem das células vermelhas, o Leucograma, realiza a contagem em células brancas, e a Plaquetograma, realiza a contagem das plaquetas.

Valores de referência são variáveis de acordo com a idade, sexo, raça e região habitada. Geralmente para adultos a variação é entre 4.500 – 10.000/mm³. O paciente que esteja acima disso pode ser diagnosticado com leucocitose. Porém, a leucocitose não é uma doença, e sim, um sinal de que ele pode estar em defesa contra doenças inflamatórias, bacterianas, estresse, traumatismo e outras causas que podem afetar as células do corpo.

Muitas pessoas ao pegarem o exame se deparam com alguma alteração, entram em um certo estado de desespero por achar que estão com leucemia. Mas, o laudo de uma pessoa com leucemia geralmente atinge uma leucocitose exacerbada e outras alterações na série vermelha e plaquetária. Por isso é sempre recomendável que o paciente procure um profissional da área para que possa realizar os exames complementares.


Fonte: Patologia Clínica & Saúde

Fonte de imagem: Google