O teste do pezinho é um exame feito a partir de sangue coletado do calcanhar do bebê. Ele permite identificar doenças como hipotireoidismo congênito, fenilcetonúria, hiperplasia adrenal congênita, deficiência da biotinidase, fibrose cística e hemoglobinopatias (doenças que afetam o sangue). É importante fazer o teste do pezinho em todos os recém-nascidos, uma vez que as doenças identificadas pelo exame não apresentam sintomas ao nascimento e, se não forem tratadas cedo, podem levar à deficiência intelectual e causar sérios prejuízos para a qualidade de vida da criança.

O teste do pezinho básico é disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), podendo ser feito gratuitamente nos hospitais ou em qualquer unidade de saúde. Entretanto, alguns hospitais disponibilizam versões mais completas do teste, que podem rastrear até 50 doenças, desde doenças metabólicas genéticas até infecciosas como a toxoplasmose congênita.

Hoje em dia, o teste do pezinho básico é obrigatório por lei em todo o território nacional. Alguns municípios, inclusive, não permitem que a criança seja registrada em cartório se não tiver feito o exame anteriormente.

Diversas maternidades já fazem o teste rotineiramente, antes da alta hospitalar, após as 48 horas de vida do bebê. Procure saber se isto é feito na maternidade onde nasceu o bebê. Caso o teste ainda não tenha sido feito, você poderá procurar o posto de saúde do seu município.

Quem deve fazer o teste?

Todas as crianças recém-nascidas devem realizar o teste do pezinho após as primeiras 48 horas do nascimento e até o 5º dia de vida. Deve-se esperar esses dias porque algumas doenças podem não ser detectadas nas primeiras horas de vida do bebê.

Como é feito?

Para o teste do pezinho, é coletada uma amostra de sangue a partir do calcanhar do bebê com a retirada de algumas gotinhas de sangue para análise. O exame é feito no calcanhar porque é a uma região rica em vasos sanguíneos e menos dolorosa, facilitando a coleta.

Tempo de duração da coleta do exame

A coleta do teste do pezinho dura alguns minutos, tempo da amostra de sangue ser coletada.

Periodicidade do exame

O exame é feito apenas uma vez após o nascimento da criança. Caso seja detectada alguma alteração, o teste do pezinho deve ser repetido conforme orientação do hospital ou da equipe médica.

Resultados

O teste do pezinho básico pode dar positivo para essas doenças:

• Fenilcetonúria;

• Hipotireoidismo congênito;

• Fibrose cística;

• Hemoglobinopatias (doenças de sangue, como a anemia falciforme);

• Hiperplasia adrenal congênita;

• Deficiência de biotinidase.

Já as triagens mais ampliadas podem diagnosticar as doenças já citadas e outras, como:

• Galactosemia;

• Deficiência de glicose 6 fosfato desidrogenase (G-6-PD);

• Toxoplasmose congênita

• Aminoacidopatias;

• Distúrbios do ciclo da ureia;

• Distúrbio dos ácidos orgânicos;

• Distúrbios da oxidação dos ácidos graxos.

A quantidade e especificação das doenças investigadas pelos testes mais avançados dependerão do hospital. Quais dessas serão incluídas no teste dependerão do laboratório ou hospital que disponibiliza o exame.

Em alguns casos, o hospital ou laboratório pode requerer a repetição do teste para confirmar o diagnóstico. Caso o teste do pezinho dê positivo para alguma das doenças investigadas, a família deverá ser orientada sobre o tratamento e cuidados a partir daquele momento.

Fonte: Minha Vida

Foto: Google