Células imunológicas conhecidas como T-regulatórias (ou Tregs) têm, na pele, uma função que vai além do controle da inflamação: elas estimulam diretamente células-tronco que promovem o crescimento dos pelos. Este mecanismo de "simbiose" entre células imunológicas e tronco foi revelado por cientistas da Universidade da Califórnia em São Francisco (UCSF), nos Estados Unidos, em pesquisa publicada no periódico Cell.

A descoberta do importante papel das Tregs neste processo resultou de experimentos em camundongos, os quais levaram à conclusão de que, sem a "parceria" destas células, as células-tronco não conseguem regenerar os folículos — levando, por exemplo, à calvície.

— Nossos folículos capilares estão se reciclando constantemente; quando um fio de cabelo cai, todo o folículo do cabelo tem que crescer de novo — explica Michael Rosenblum, professor na UCSF e um dos autores do estudo. — Pensou-se que este era um processo inteiramente dependente da célula, mas a verdade é que as Tregs são essenciais. Se você desliga este tipo de célula imunológica, o cabelo simplesmente não cresce mais.

O estudo sugere que falhas nas Tregs podem ser responsáveis pela alopecia areata, um tipo comum de doença autoimune que leva à queda de cabelo, além da calvície masculina.

Normalmente, as Tregs funcionam como "negociadores da paz" e diplomatas: informam ao resto do sistema imunológico sobre amigos e inimigos que adentram o corpo. Como a maior parte das células imunológicas, as Tregs ficam alocadas nos linfonodos — mas, como no caso da pele, algumas delas residem permanentemente em outros tecidos, onde aparentemente evoluíram de forma a dar assistência em funções metabólicas, além de cumprir seu papel principal, o anti-inflamatório.

Linha direta entre as células

Imunologista e dermatologista, Rosenblum, em conjunto com seus colegas, desenvolveu uma técnica para remover temporariamente as Tregs da pele. Uma vez que eles rasparam os pelos dos camundongos, disseram uma descoberta surpreendente.

— Rapidamente, notamos que os blocos de pelos cortados nunca mais cresceram, e pensamos: "Hmm, isso é interessante" — lembra Rosenblum.

Análises a partir de imagens microscópicas revelaram também que as Tregs e células-tronco se comunicam por um sistema de comunicação celular conhecida como o Via de sinalização Notch.

— É como se as células-tronco da pele e as Tregs tivessem evoluído juntas, de modo que as Tregs não apenas protegem as células-tronco contra a inflamação, mas também participam do seu trabalho regenerativo — aponta Rosenblum. — Agora, as células-tronco dependem totalmente das Tregs para saber qual é o momento de começar a regeneração.

Fonte: O Globo

Foto: Marcelo Theobald