Ritmo cardíaco acelerado, suor, nervosismo excessivo e esgotamento físico e mental são apenas alguns dos sintomas comuns relacionados a um quadro de ansiedade. Apesar de hoje ser considerada um dos maiores vilões do bem-estar, no passado a ansiedade ajudou no processo evolutivo.

Como a ansiedade afeta seu corpo

O sentimento, assim como o estresse, serviu como mecanismo de defesa e proteção dos seres humanos em um ambiente de retorno imediato, auxiliando na resolução de problemas agudos de curto prazo, diante de riscos imediatos. Nos dias de hoje, porém, enfrentamos problemas diferentes, como preocupações sobre o pagamento de contas do próximo mês, conclusão de um trabalho para o fim do ano ou preocupações sobre o futuro de um relacionamento, por exemplo. A antecipação e o adiamento de soluções, portanto, causariam a ansiedade que não seria aliviada de maneira tão prática e rápida.

Uma das maiores fontes de ansiedade é a incerteza constante de que algo vá ou não se concretizar. Sem garantias, será necessário adotar atitudes e comportamentos que ajudam a minimizar o impacto ou pelo menos a ideia dos resultados sem previsões racionais de um retorno.

Como evitar a ansiedade

O mais importante para evitar o surgimento da ansiedade é manter a rotina organizada e fazer medições mais exatas e racionais possíveis sobre fatos do futuro. O ato de medir as consequências transforma algo desconhecido em algo mais próximo e fácil de ser controlado.

Quando você mede algo, imediatamente se sente mais seguro sobre as situações e menos propenso a sofrer por antecipação. A medição não resolverá magicamente todos os seus problemas, mas será de extrema importância para esclarecer cada situação e entender o que realmente está acontecendo.

Fonte: Vix

Fonte imagem: hypescience.