Segundo a organização, número potencial de pessoas que podem ser atendidas passará de 28 para 37 milhões.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu em suas novas recomendações que qualquer pessoa infectada com o vírus da aids seja tratada imediatamente com antirretrovirais, sem esperar que seu sistema imunológico fique debilitado.

A OMS recomendava o início desse tratamento apenas em adultos com HIV e quando o número de suas células CD4 (um tipo de linfócito) fosse inferior a 500 células por m³ de sangue. No entanto, a organização agora considera que é preciso começar o procedimento imediatamente depois do diagnóstico, para que todas as pessoas que têm o vírus da aids, crianças ou adultos, possam se beneficiar dele.

Além disso, a OMS avalia que é necessário propor "a todas as pessoas que têm um risco substancial de ser infectadas pelo HIV" (e não apenas uma categoria específica da população) tratamentos preventivos com antirretrovirais".

Segundo a organização, graças a essas novas recomendações, o número potencial de pessoas que podem receber o tratamento passará de 28 para 37 milhões. A agência das Nações Unidas espera, assim, poder evitar 21 milhões de mortes e 28 milhões de novas infecções até 2030.

As medidas foram um pedido de cientistas reunidos em julho em Vancouver, no Canadá, em uma grande conferência internacional sobre a aids. As pesquisas recentes demonstram que, se o tratamento for aplicado imediatamente depois do diagnóstico, será possível prevenir a transmissão por via sexual a outras pessoas.

Outros estudos demonstram que uma terapia preventiva pode proteger de forma eficaz as pessoas com risco de contágio. O objetivo da OMS é erradicar a AIDS até 2030.

Fonte: Zero Hora