A palavra câncer tem origem latina e significa, literalmente, caranguejo. Tem esse nome, pois as células doentes atacam e se infiltram nas células sadias como se fossem as garras do crustáceo.

A própria palavra câncer ainda assusta muita gente e traz alguns mitos. Isso ocorre porque ainda existem muitas ideias erradas sobre a doença e, infelizmente, a maioria das pessoas ainda pensa que ela é sinônimo de morte.

Muitas vezes uma má interpretação de fatos relacionados ao câncer ou uma generalização de um caso isolado da doença, assim como especulações, acabam por fazer com que ideias e até mesmo crenças se apresentem como verdades.

Vejamos, a partir de algumas dúvidas comuns, o que é mito e o que é verdade em relação ao câncer.

O câncer é hereditário?

Mito. O câncer é uma doença que resulta da interação entre fatores ambientais e genéticos do indivíduo. Entretanto, uma parcela pequena dos tumores malignos são considerados hereditários (até 10%), e a maioria está relacionada a exposição a fatores ambientais (tabagismo, hábitos alimentares, infecções, exposição solar, etc).

O câncer é contagioso?

Mito. Mesmo os cânceres causados por vírus não são contagiosos. No entanto, alguns vírus oncogênicos (capazes de produzir câncer) podem ser transmitidos por meio do contato sexual, transfusões de sangue ou seringas contaminadas, utilizadas para injetar drogas. Como exemplos de vírus carcinogênicos têm-se o vírus da hepatite B (câncer de fígado) e o vírus HTLV (leucemia e linfoma de célula T do adulto).

O câncer tem cura?

Verdade. Desde o início do século até hoje, a sociedade tende a acreditar que o câncer é sempre sinônimo de morte, e que seu tratamento raras vezes leva à cura. Ao contrário do que pensam, no entanto, muitos tipos de câncer são curáveis, desde que tratados em estágios iniciais e acompanhados corretamente, o que demonstra a importância do diagnóstico precoce. Mais da metade dos casos de câncer já tem cura.

O câncer pode ser prevenido?

Verdade. Os cânceres causados pelo tabagismo, pelo consumo de bebida alcoólica e os relacionados à dieta alimentar podem ser prevenidos. Além disso, muitos cânceres de pele podem ser evitados com o uso de protetor solar. Exames específicos podem detectar o câncer de mama, de cólon, no reto, colo de útero, próstata, testículo, língua, boca e pele em estádios iniciais, quando o tratamento é mais bem sucedido. Autoexames de mama e pele também auxiliam no diagnóstico precoce de tumores.

Todo tumor é câncer?

Mito. Nem todo tumor é câncer. A palavra tumor corresponde ao aumento de volume observado numa parte qualquer do corpo. Quando se dá por crescimento do número de células, é chamada neoplasia, que pode ser benigna ou maligna. Ao contrário do câncer, que é neoplasia maligna, as neoplasias benignas crescem de forma organizada, em geral lentamente, e o tumor apresenta limites bem nítidos. Elas tampouco invadem os tecidos vizinhos ou desenvolvem metástases. O lipoma e o mioma são exemplos de tumores benignos.

Qualquer pessoa corre o risco de desenvolver câncer?

Verdade. Como a ocorrência do câncer aumenta com a idade, no entanto, a maioria dos casos acontece entre adultos de meia idade ou idosos. O risco relativo mede a relação entre os fatores de risco e o câncer, comparando o risco da doença se desenvolver em pessoas com determinada exposição ou característica. Os fumantes, por exemplo, tem um risco relativo dez vezes maior de desenvolver câncer de pulmão se comparados com os não fumantes. A maioria dos riscos relativos não apresenta essa dimensão. As mulheres com um histórico familiar em primeiro grau (mãe, irmã ou filha) de câncer de mama, por sua vez, tem cerca de duas vezes mais risco de ter a doença.

Andar muito de avião ou ficar sempre perto de antenas de celulares aumenta o risco de desenvolver câncer?

Mito. Não há nenhuma comprovação científica de que radiação de celulares, microondas ou aviões possa causar tumores. Telefones celulares emitem doses pequenas de radiação eletromagnética. Até o momento, os estudos feitos para determinar a relação dessa radiação com o aparecimento do câncer não mostraram nenhuma evidência de que isso ocorra, mas o assunto permanece "em aberto" e mais pesquisas são necessárias para se chegar a uma conclusão.

Adoçante provocam câncer?

Mito. Essa é outra crendice do século XXI. Durante 20 anos, a sacarina foi apontada como uma substância cancerígena. Pesquisadores americanos concluíram que os tumores em ratos, provocados pela sacarina, crescem devido a mecanismos que não são relevantes para as condições humanas. Por isso, a sacarina foi retirada da lista de substâncias cancerígenas que é publicada todos os anos pelo Instituto Nacional do Ambiente e Ciências da Saúde dos Estados Unidos.

É melhor ter vários nódulos que um só?

Mito. Estudos indicam que o fato de ter um único ou vários nódulos não influência na gravidade da doença. É importante lembrar também que nódulo nem sempre é câncer.

Câncer de pele é mais comum em pessoas acima de 40 anos?

Verdade. Os efeitos nocivos do sol são cumulativos, por isso é comum que o câncer de pele e as lesões apareçam após os 40 anos.

Pessoas da raça negra não correm risco de ter câncer de pele?

Mito. Apesar das pessoas de pele escura terem maior proteção contra a radiação ultravioleta, elas também podem sofrer de câncer de pele, principalmente na palma das mãos ou na planta dos pés. Por isso, todos devem proteger-se do sol usando filtros solares adequados.

A destruição da camada de ozônio aumenta as chances de se desenvolver algum tipo de câncer, principalmente o câncer de pele?

Verdade. Com a destruição da camada de ozônio, os raios UV-B e UV-C aumentam sobre a Terra. Os raios UV-B estão diretamente relacionados ao surgimento do câncer de pele e os raios UV-C são potencialmente mais carcinogênicos do que os UV-B.

A maior incidência de câncer de pele ocorre na cabeça, no rosto e no pescoço?

Verdade. Isto acontece porque estas são as áreas mais expostas à radiação solar.

O uso do filtro solar protege contra todos os raios ultravioleta?

Mito. Nem todos os filtros solares oferecem proteção completa para os raios UV-B e UV-A. Como eles disfarçam os sinais do excesso da exposição ao sol, as queimaduras não são percebidas e as pessoas continuam se expondo. O problema é que radiações como as infravermelhas não são bloqueadas pelos filtros solares.

Pintas e sinais podem virar câncer?

Verdade. O câncer de pele que se origina de sinais escuros ou pode se assemelhar a pintas e sinais é conhecido por melanoma maligno. Se não detectado e tratado, é um dos mais mortais tipos de câncer.

O tabaco causa apenas câncer de pulmão?

Mito. O hábito de fumar é a principal causa do câncer de pulmão, laringe, faringe, cavidade oral e esôfago. Também contribui para o surgimento do câncer de bexiga, pâncreas, útero, rim e estômago, além de algumas formas de leucemia.

Desodorante antitranspirante pode causar câncer de mama?

Mito. De forma alguma. Esse é um boato que circula na internet, mas nada tem de verdadeiro. Na axila nem existem células mamárias. Não existem pesquisas ou estudos que demonstrem haver qualquer ligação entre as duas coisas. O que pode acontecer é o entupimento de algumas glândulas sudoríparas, mas isso não afeta a mama.

Amamentar protege o peito do câncer de mama?

Verdade. Quando o bebê mama, as células mamárias ficam ocupadas com a produção de leite e se multiplicam menos, o que reduz o risco de contrair a doença.

Se eu faço o autoexame das mamas todos os meses não preciso fazer mamografia?

Mito. Normalmente, se você fizer o auto-exame todos os meses e visitar seu médico anualmente, uma mamografia por ano é suficiente. Nem o auto-exame, nem o exame médico, nem a mamografia, porém, são eficientes sozinhos.

O câncer de próstata causa diminuição de virilidade?

Mito. Se a doença for descoberta ainda no início, o tratamento não influenciará a atividade sexual do paciente. Portanto não haverá riscos de perda de apetite ou desempenho sexual.

A anemia pode se transformar em leucemia?

Mito. A anemia pode ser um sintoma, mas não um fator de risco para o desenvolvimento da leucemia. As causas mais comuns de anemia na população são as carenciais, ou seja, relacionadas à ausência de algum elemento no organismo. A mais comum é por deficiência de ferro, que pode estar relacionada à dieta ou por perda crônica de sangue. A anemia hemolítica (doença autoimune onde os anticorpos atacam os glóbulos vermelhos do próprio organismo) também não predispõe à leucemia. No entanto, a exceção à regra ocorre somente se o paciente tiver uma síndrome mielodisplásica, doença da medula óssea que se inicia como anemia e posteriormente pode se desenvolver em uma leucemia.

A maior incidência de câncer ocorre na cabeça?

Mito. Os tumores mais frequentes são os de pele não-melanoma, mama, próstata e pulmão.

Fonte: Liga Contra o Câncer | Centro de Combate ao Câncer