Investigadores do Ipatimup assinam artigo em revista prestigiada. Os investigadores do Ipatimup Salomé Pinho e Celso Reis publicaram recentemente numa das mais prestigiadas revistas científicas mundiais na área do cancro, a Nature Reviews Cancer, um artigo sobre a importância dos açúcares que revestem as células tumorais. O último artigo de revisão sobre glicosilação em cancro que esta revista tinha publicado tinha sido em 2005 e os autores eram investigadores norte-americanos, mais especificamente da Califórnia.

Este ano, e depois dos investigadores Salomé Pinho e Celso Reis terem publicado vários artigos sobre o tema em revistas como Journal of Clinical Investigation, Oncogene, Cancer Research, Human Molecular Genetics, Molecular and Cellular Proteomics, entre outras, a Nature Reviews Cancer convidou-os para escreverem um artigo sobre Glycosylation in cancer: mechanisms and clinical implications. É, aliás, a primeira vez que investigadores do Ipatimup são convidados a publicar nesta revista.


Este artigo reune todos os resultados em que demonstrámos a importância inequívoca dos açúcares no diagnóstico, prognóstico e no tratamento do cancro. Foi o acumular de todas estas evidências, resultantes de décadas do nosso trabalho, que foi consagrado e reconhecido pela revista Nature, explica a investigadora Salomé Pinho.

Açúcares e cancro: como se relacionam:

A forma como as células tumorais se revestem à sua superfície com açúcares tem sido demonstrada como sendo determinante para a forma como um tumor se comporta, ou seja, se é invasor, se metastiza, se não mestatiza, etc. Para além de definir o comportamento das células tumorais, os diferentes tipos de açúcares que uma célula tumoral expressa constitui uma assinatura única de cada tumor com muitas aplicações na clínica, tais como a deteção destes açúcares como marcadores tumorais, inclusive no sangue dos doentes com cancro, ou em abordagens terapêuticas inovadoras.


O trabalho desenvolvido pelos investigadores do Ipatimup Salomé Pinho e Celso Reis centra-se na compreensão dos mecanismos moleculares que estes açúcares desempenham nas células tumorais e sua importância para a evolução de um doente com cancro. Estes estudos têm ainda demonstrado o enorme potencial destes açúcares para o diagnóstico precoce do cancro, para a monitorização da recidiva tumoral, constituindo ainda alvos para o desenvolvimento de novas terapias anti-tumorais.

Fonte: Ciência Hoje