Uma pesquisa feita pelo Instituto Datafolha, divulgada em São Paulo, mostra que metade dos brasileiros desconhece o câncer de mama em sua fase mais avançada. No Brasil, de todos os novos casos de câncer diagnosticados anualmente, o câncer de mama representa 22%.

O levantamento mostra que o câncer de mama com metástase (quando atinge outros órgãos) é desconhecido por 49% da população. Quatro entre dez mulheres, e seis entre dez homens, afirmam nunca ter ouvido falar sobre o câncer de mama metastático.

A pesquisa, feita com 2.907 pessoas em 174 cidades brasileiras, faz parte da campanha "Por Mais Tempo", realizada pela Federação Brasileira de Instituições Filantrópica de Apoio à Saúde da Mama (Femama), Instituto Oncoguia, com apoio de uma farmacêutica, que tem o objetivo de ampliar o debate sobre a doença e o acesso a novas terapias, boa parte não oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O estudo mostra ainda que 70% associam a doença a pouco tempo de vida e má qualidade de vida dos pacientes.

— Aumentou a perspectiva de pacientes viveram mais mesmo com metástase. Podemos curar o que é curável e controlar o que é controlável — diz a médica Maira Caleffi, presidente da Femama.

Para cerca de 60%, câncer é a doença que mais mata no Brasil. Dados do Ministério da Saúde, no entanto, revelam que as doenças cardiovasculares são as principais causas de morte no país. No Sudeste e Nordeste, esta percepção chega a 82%. No Sul, esse índice é de 88% enquanto no Centro-Oeste é de 86%. No Norte, essa é a opinião de 83%.

O Datafolha também enfatizou a mamografia e os resultados mostram que 15% das mulheres com idade entre 40 e 69 anos nunca fizeram o exame. Entre as usuárias do SUS, 19% nunca fizeram mamografia. Já no universo das mulheres com plano de saúde, o percentual cai para 5%.

A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais.

Cuidados e tratamento

A quimioterapia e a radioterapia foram as terapias mais citadas pela população como forma de combater o câncer de mama metastático. A quimioterapia é lembrada por 45% dos entrevistados, seguida pela radioterapia, citada por 27% das pessoas. As regiões Norte e Nordeste têm os maiores índices de desconhecimento sobre as formas de tratamento. Respectivamente, 38% e 37% dos entrevistados não souberam apontar tipos de tratamento. No Sudeste foram 31% e 30% na Centro-Oeste. Já no Sul, o percentual foi 29%.

Os brasileiros acreditam que a mãe (60%) é a pessoa que mais pode ajudar uma mulher diagnosticada com câncer de mama metastático, seguida do companheiro (53%) e do médico (48%).

Fonte: O Globo