O hospital Cedars-Sinai, um dos mais renomados de Los Angeles, anunciou que quatro pessoas foram infectadas por uma superbactéria resistente a antibióticos, e que outros 70 pacientes podem estar contaminados.

Os pacientes foram diagnosticados com enterobactérias resistentes a carbapenemos (ERC). A bactéria CRE é resistente a tratamentos com a maioria dos antibióticos comuns, e é particularmente perigosa nos hospitais, onde os pacientes podem estar com o sistema imunológico comprometido ou se recuperando de cirurgias.

"Apesar de o Cedars-Sinai seguir meticulosamente as medidas de desinfecção, detectamos pacientes com ERC", informou o hospital. Diante desta situação e "por cautela", 68 pessoas que foram tratadas com duodenoscópios entre agosto do ano passado e fevereiro foram alertadas, assinalou o centro médico.

Há um mês, a ERC provocou a morte de dois pacientes no hospital Ronald Reagan UCLA de Los Angeles transmitida por duodenoscópios, instrumentos usados para o tratamento e o diagnóstico de problemas no pâncreas e na vesícula. Outras sete pessoas foram infectadas e 179 colocadas em alerta após as mortes no Ronald Reagan.

Um hospital de Los Angeles, nos Estados Unidos, anunciou nesta quinta-feira que pode ter infectado involuntariamente 179 pessoas com uma bactéria resistente a antibióticos. De acordo com o Centro Médico Ronald Regan UCLA, está confirmado que sete pacientes foram contaminados por enterobactérias capazes de resistir ao carbapenemos (CRE, na sigla em inglês). O micro-organismo pode ter sido um fator que contribuiu para a morte dos dois pacientes, admitiu o hospital em um comunicado.

Funcionários do centro médico disseram que kits para testes domésticos foram disponibilizados para determinar se os pacientes em risco estão infectados pela CRE.

Fonte: Veja