A infecção causada pelo vírus influenza é comum na infância e se torna mais rara conforme a pessoa envelhece. Pesquisadores britânicos, americanos e chineses descobriram que adultos acima de 30 anos pegam gripe somente duas vezes por década. O estudo foi publicado no periódico PLOS Biology.

A pesquisa analisou amostras de sangue voluntários chineses, procurando por níveis de anticorpos contra nove tipos de influenza que circularam entre as decádas de setenta e dois mil. Os resultados descobriram que, enquanto crianças pegam, em média, uma gripe por ano, essas infecções se tornam menos frequentes conforme elas crescem. A partir dos 30 anos, tendem a ocorrer duas vezes por década. De acordo com os pesquisadores, a frequência pode ser diferente em outras populações, mas "provavelmente é a mesma".

O estado gripal pode ser confundido com o resfriado, causado por outros vírus, como o rinovírus e o coronavírus. "Existem debates científicos sobre a periodicidade com que as pessoas ficam doentes por influenza. Esta é a primeira vez que alguém reconstruiu a história desta infecção a partir de amostras de sangue dos dias de hoje", afirma Adam Kucharski, da Escola de Higiene & Medicina Tropical de Londres e autor do estudo.

Cinco maneiras de evitar gripes e resfriados

Higienizar as mãos

Quando uma pessoa assoa o nariz, um pouco de secreção nasal pode ficar nas suas mãos. Se essa secreção entrar em contato com outras superfícies, como corrimãos e maçanetas, o vírus permanecerá no local por alguns segundos. Assim, caso outro indivíduo toque na região contaminada e leve a mão ao nariz ou ao olho, será infectado. "Depois de utilizar transporte público ou passar por grandes aglomerações, é preciso lavar as mãos com água e sabão", explica o clínico geral Paulo Olzon, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Embora seja mais prático, o álcool em gel não pode ser utilizado como método de higiene, diz o médico. "Esse produto não desinfeta as mãos completamente."

Lavar as narinas com soro fisiológico

A baixa umidade do ar no inverno favorece o ressecamento da mucosa nasal. "O ressecamento diminui a produção de secreção, que possui o anticorpo IgA e ajuda a barrar a entrada dos agentes infecciosos", explica o infectologista Jean Carlo Gorinchteyn, da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo. Esse anticorpo protege o organismo contra infecções virais e bacterianas. Lavar as narinas com soro fisiológico duas vezes ao dia é suficiente.

Evitar aglomerações

Lugares com muitas pessoas, como uma sala de cinema ou um ônibus lotado, favorecem a transmissão do vírus da gripe e do resfriado. Nesses ambientes, fica mais fácil entrar em contato com as secreções e gotículas oriundas de espirros e tosses contaminadas. "Ir ao cinema em horários mais vazios, por exemplo, é uma maneira de evitar o contato com os agentes transmissores da gripe e do resfriado", diz Jean Carlo Gorinchteyn.

Ingerir proteínas

A proteína é o principal nutriente para a produção de anticorpos, que protegem o organismo contra as infecções. Por isso, ter uma dieta balanceada e rica em proteínas, de origem animal ou vegetal — como a soja e o grão-de-bico —, blinda o corpo contra os vírus da gripe e do resfriado.

Manter um metro de distância de pessoas gripadas ou resfriadas

A tosse e o espirro são as maneiras mais comuns de transmissão da gripe e do resfriado, porque o doente espalha pelo ambiente gotículas e secreções contaminadas, que podem infectar alguém. "É claro que não é necessário evitar o contato com um indivíduo infectado, mas tentar manter uma distância de até 1 metro dessa pessoa ajuda bastante", diz Fernando Gatti de Menezes, infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

Fonte: Veja