Eles vivem escondidos no corpo de seus hospedeiros e sua presença nem sempre é perceptível. Conheça os fungos, bactérias e outros microorganismos que podem causar doenças graves em Parasitas Assassinos.Você leva uma vida saudável: tem uma alimentação equilibrada, abandonou os maus hábitos, dorme oito horas por noite e pratica exercícios. Mesmo assim, você não está imune ao ataque de milhões de bactérias e parasitas que buscam um novo lar.

Que o digam os protagonistas de Parasitas Assassinos, série em que pessoas infectadas com esses microorganismos compartilham suas experiências em depoimentos capazes de superar a ficção. Conheça alguns casos abaixo.

O verme responsável pela "cegueira do rio

O verme Onchocerca volvulus é o agente causador dessa doença parasitária crônica, também conhecida como oncocercose ou cegueira do rio. A transmissão ocorre pela picada de borrachudos infectados (Simulium spp). Os sintomas incluem forte irritação cutânea, erupções inflamadas e bolhas.

Os portadores também podem desenvolver sérios problemas de visão. A oncocercose já é a segunda causa infecciosa de cegueira em todo o mundo. Felizmente, vários países da América Latina erradicaram a doença, como Colômbia, Equador e alguns estados do México. Já na África, a doença ainda faz vítimas em trinta países.

Chromo bacterium violaceum, a bactéria que te devora vivo

Um dos maiores desafios que o infectologista Thomas Belhorn enfrentou em sua carreira foi o caso de Matthew, um menino com uma septicemia grave e de origem desconhecida. A criança piorava a cada dia, mas depois de vários exames, Belhorn finalmente descobriu a fonte da infecção: a Chromobacterium violaceum.

Esta bactéria é encontrada no solo e na água de regiões tropicais e subtropicais. É capaz de se desenvolver na ausência de oxigênio e produz antibióticos naturais, usados no tratamento de doenças como o câncer. Não costuma afetar seres humanos, mas quando invade o organismo, sua presença pode ser fatal.Matthew a contraiu ingerindo um alimento contaminado e começou a apresentar estranhas manchas violáceas, causadas pelo veneno liberado pelas bactérias, alojadas entre a pele e a carne. Além de devorar o tecido cutâneo, aelas também atacaram os pulmões e quase chegaram ao cérebro do menino. Felizmemente, a detecção precoce permite que a doença seja tratada sem maiores complicações.

Toxoplasma: morando com o inimigo

Se você tem um gato em casa, fique atento: seu fiel companheiro é uma das sete espécies de felinos cujas fezes transmitem a toxoplasmose, doença infecciosa causada pelo parasita toxoplasma, um tipo de protozoário. Em cerca de 90% dos casos, a toxoplasmose é assintomática e é preciso fazer exames para diagnosticá-la. Cerca de um terço da população mundial foi infectada, mas poucas pessoas percebem a presença do parasita.

Uma das particularidades do toxoplasma é sua indestrutibilidade: depois de entrar no corpo humano, não há como removê-lo. Para evitar o contágio, tome especial cuidado com a higiene pessoal, sobretudo se tiver contato constante com gatos. Além disso, todos os alimentos devem ser bem lavados.A toxoplasmose é uma doença leve, mas em casos agudos pode gerar lesões graves, como a cegueira. Também é perigosa na gravidez, já que pode causar danos ao feto.

Ascaris, invasores insidiosos

O Ascaris é um verme silencioso. Ele vive nos intestinos de milhões de pessoas, onde pode atingir entre 20 e 30 centímetros de comprimento e se desenvolver durante anos, sem ser notado. Mas quando esses parasitas se manifestam, podem ser bem desagradáveis: os portadores podem sentir calafrios ou expelir os vermes pela boca ou nariz, através do vômito e pelas fezes. Foi a terrível experiência vivida por Brittney McWilliams, uma das protagonistas da série. Depois de passar uma noite com febre, ela se levantou da cama tossindo vermes.

O aumento da temperatura corporal tornou seu organismo inabitável para os parasitas, que procuraram uma via de escape pelo esôfago. Para evitar o contágio, lave bem as mãos. Esses microorganismos vivem em lugares com saneamento precário e podem ser transmitidos pelo toque de superfícies contaminadas. Também invadem o corpo humano por via oral, em forma de ovos microscópicos.

Cryptococcus Gatti: um fungo diminuto, mas mortal

Courtney Blomeen chegou ao hospital com com uma grave infecção nos pulmões, que deixou os médicos intrigados. Quando o Dr. Troy Torgerson recebeu os resultados dos exames de sangue, descobriu o que estava causando a falência de seu sistema respiratório: o Cryptococcus Gatti, um fungo minúsculo que é transmitido pelo ar e se desloca pelo sangue do portador, atingindo órgãos vitais como a pele, os pulmões e o cérebro. Segudo Torgerson, o tratamento é extremamente complexo e se a infecção se espalhar, é praticamente impossível erradicar o fungo do organismo. A taxa de mortalidade é significativa: 25%.

Fonte: Brasil discovery