Por meio da resolução nº 245/2014, do conselho federal, foi definido que é atribuição dos profissionais biomédicos atuar sob supervisão médica no monitoramento neurofisiológico transoperatório, operando equipamentos específicos para a atividade e utilizando métodos eletrofisiológicos como eletroencefalografia (EEG), eletromiografia (EMG) e potenciais evocados para monitorar a integridade de estruturas neurais específicas durante as cirurgias.

O exercício da atividade profissional para o monitoramento neurofisiológico transoperatório requer curso de especialização, devidamente registrado e aprovado pelo Ministério da Educação, cujas disciplinas mínimas são: neuroanatomia, neurofisiologia, neuropatologia básica e avançada, teoria das técnicas cirúrgicas, tecnologias aplicadas à atividade e estágio prático em serviços de monitoramento neurofisiológico transoperatório devidamente registrados nos conselhos de fiscalização profissional e vigilância sanitária.

Fonte: IOB Online