Pesquisadores suecos descobriram que a velocidade do envelhecimento de uma pessoa é influenciado pela genética materna, especificamente do DNA mitocondrial. O envelhecimento é um processo desencadeado, principalmente, pelo aumento no número de células danificadas em nosso corpo, portanto, quanto mais DNA mitocondrial danificado é herdado, mais rápido o indivíduo ficará velho. A descoberta publicada na revista Nature foi feita em experimentos com ratos, por enquanto.

Os genes que herdamos de nossas mães têm papel fundamental na velocidade do envelhecimento de nossos corpos. A descoberta é de um estudo conduzido em camundongos por pesquisadores do Karolinska Institutet, na Suécia, e destaque na edição desta semana da revista Nature.

O envelhecimento é um processo desencadeado, entre outras razões, pelo aumento no número de células danificadas em nosso corpo, que acabam por dificultar o funcionamento dos órgãos. Esse dano ocorre dentro da célula, no DNA da mitocôndria, considerado o "motor" responsável por gerar toda a energia consumida pela célula para fazer com que nossos órgãos funcionem perfeitamente.

Agora, contudo, cientistas apontam que há um outro agente determinante no início do processo de envelhecimento: a genética materna. Ela tem tanta importância na velocidade de nosso envelhecimento quanto o nível de DNA mitocondrial danificado que apresentamos.

"Surpreendentemente, descobrimos que o DNA mitocondrial danificado que herdamos de nossas mães tem, também, grande influência sobre quando se dará nosso envelhecimento", explica Nils-Göran Larsson, um dos autores do estudo. "Assim, quanto mais DNA mitocondrial danificado é herdado da mãe, mais rápido um indivíduo ficará velho."

Para o cientista do ligado ao Instituto Max Planck, da Alemanha, a descoberta pode ajudar a ciência a entender mais sobre o envelhecimento do corpo humano e determinar exatamente o papel do DNA mitocondrial danificado.

Segundo o estudo, o próximo passo é estender os experimentos a moscas de fruta. Isso permitirá ao grupo descobrir se um nível menor de DNA mitocondrial danificado herdado da mãe está ligado ou não a uma vida mais longa.

Fonte: UOL