Os amantes do café podem estar no caminho certo. Um novo estudo publicado no Journal of the National Cancer Institute apontou que o consumo da bebida pode proteger contra o câncer de pele.

O estudo investigou mais de 447 mil pessoas nos Estados Unidos durante uma média de 10 anos e descobriu que o café pode reduzir o risco para o tipo mais grave de câncer de pele, o melanoma maligno.

Os pesquisadores descobriram que as pessoas que bebiam café com maior frequência — aquelas que consumiram quatro ou mais xícaras por dia — tinham um risco 20% menor de desenvolver melanoma maligno do que aqueles que tomavam menos. Também concluíram que os benefícios do café aumentaram proporcionalmente à quantidade que o paciente consumiu. O café descafeinado não forneceu os mesmos benefícios de proteção.

Os participantes do estudo responderam a questionários sobre suas dietas e forneceram informações sobre fatores de risco de câncer, incluindo histórico familiar de melanoma, reações a queimaduras solares, pele e exposição à luz solar direta. Eles também foram monitorados para verificar se havia sintomas de câncer de pele.

Durante o estudo, 22.786 participantes desenvolveram carcinoma de células basais, enquanto 1.953 desenvolveram carcinoma de células escamosas e 741 participantes desenvolveram melanoma

O estudo não é conclusivo — ele mostrou uma associação, não uma relação direta de causa e efeito entre o café com cafeína e o risco de câncer de pele. Os cientistas alertam que a bebida não substitui o uso de protetor solar.

Estudos comprovam que a ingestão não exagerada de café pode trazer outros benefícios para a saúde, como: menor incidência de zumbido no ouvido, redução do risco de câncer de fígado e prevenção de doenças.

Fonte: Zero Hora