Um teste genético que identifica nos homens o risco de câncer de próstata pode estar disponível em três anos, informaram cientistas britânicos. Médicos pretendem usar o teste para identificar os estágios iniciais da doença, antes que o tumor comece a se espalhar pelo corpo, segundo informações do jornal britânico The Guardian.

Os cientistas começaram a trabalhar no teste depois que um estudo realizado com aproximadamente duas mil pessoas encontrou sete "marcas genéticas" ligadas à doença e até então desconhecidas. Cada paciente que apresentava esses traços genéticos tinha 60% de chances de desenvolver câncer de próstata.

A descoberta também deve abrir caminho para a criação de novas drogas. "Nós estamos entrando em uma era muito interessante da medicina. Eu penso que, definitivamente, esse tipo de medicina genética está por acontecer", disse o médico Rosalind Eeles, líder do estudo desenvolvido no Instituto de Pesquisa para o Câncer, em Sutton, na Inglaterra.

Teste

O teste funciona a partir da comparação do DNA de homens com câncer de próstata com o DNA de pacientes considerados saudáveis. No estudo, foram coletadas amostras de DNA de 1.894 homens com 60 anos ou menos que foram diagnosticados com a doença ou que tinham o câncer de próstata no histórico familiar.

Então as amostras foram comparadas com as de outros 1.894 homens com estilos de vida semelhantes, mas, de acordo com testes tradicionais, apresentavam pequeno risco de desenvolver tumores na próstata. Comparando o DNA dos dois grupos, os cientistas identificaram sete "enganos" no código genético que estavam ligados ao câncer.

Agora a equipe de cientistas lideradas por Eeles quer identificar quais desses traços genéticos ajudam no desenvolvimento da doença. Se funcionar, os médicos poderão acompanhar de perto o paciente que tiver mais risco de desenvolvê-la. O resultado no estudo foi publicado na revista científica Nature.

Fonte: Terra