O diabetes na meia-idade pode "envelhecer a mente" por cinco anos e pode acelerar o aparecimento de demência, concluiu um novo estudo da Johns Hopkins Bloomberg Escola de Saúde Pública, em Maryland. A pesquisa foi feita a partir da análise de quase 16 mil pessoas nos Estados Unidos, acompanhadas desde a década de 1980, em que foi possível ver a ligação direta entre a idade e o declínio cognitivo.

O levantamento demonstrou que, em média, uma pessoa com 60 anos de idade e com diabetes apresenta um declínio em sua função cerebral de maneira que aparenta ser um idoso de 65 anos e sem diabete.

Pessoas com diabetes têm dificuldades para regular os níveis de açúcar no sangue e isto pode causar danos às veias, incluindo as do cérebro. Esta consequência pode justificar a ligação da doença com a demência.

— Este estudo contribui para um grande número de evidências que liga a diabetes aos problemas de memória na velhice. Além disso, sugere que o controle dos níveis de açúcar no sangue na meia-idade também pode trazer benefício para o nosso cérebro — afirmou a Dr. Laura Phipps ao site Independent.

Os autores do estudo afirmam que a pesquisa mostra que para se ter um cérebro saudável aos 70, é necessário comer direito aos 50. Os resultados foram publicados na revista especializada Annals of Internal Medicina.

O diabetes do tipo 2, a forma mais comum, está intimamente ligada ao excesso de peso e a prática de exercício é a melhor maneira para se prevenir da doença.

Fonte: O Globo