Existem duas apresentações clínicas características da diarreia infecciosa que nos ajuda a determinar o agente etiológico. As diarreias causadas pela ingestão de toxinas bacterianas pré-formadas e as que requerem a colonização. A primeira ocorre nas infecções pelo Staphylococcus aureus, Clostidium perfringens e Escherichia coli enterotoxigênica, inicia-se com náuseas e vômitos, seguida de diarreia dentro de 12 horas da ingestão e duram até cinco dias; a segunda ocorre na infecções pelas espécies de Salmonella não-tifoide, Escherichia coli enteropática e Campylobacter jejuni, produzem diarreia 48 horas após a ingestão do alimento, e dura 3 a 5 dias.

A diarreia bacteriana usualmente é auto-limitada, e necessita apenas de terapia de suporte (hidratação, antipirético e antiemético) Antibióticos são reservados para pacientes com diarreia que persiste por mais de sete dias ou que exibem sintomas tóxicos de febre, dor abdominal ou hematoquezia.

Alguns agentes etiológicos da diarreia infecciosa

E. coli O157:H7 – O E. coli O157:H7 ("Escherichia coli" Êntero-hemorrágica), um contaminante de bife ou queijo mal processados, pode causar colite hemorrágica, podem complicar como síndrome hemolítico-urêmica ou púrpura trombocitopênica trombótica. Acredita-se que ocorra pela citotóxina que danifica as células endoteliais.

Salmonella não tifoide – Esta bactéria presente em frangos e ovos freqüentemente é fonte de surtos epidêmicos de diarreia. Elas invadem a mucosa intestinal sem causar inflamação, portanto, não existem leucócitos nos exame das fezes.

Yersinia enterocolitica – Este microrganismo invade o cólon direito e íleo; uma infecção aguda que pode mimetizar apendicite ou doença de Crohn

Criptosporidiose – A diarreia Criptosporidiose é vista principalmente nos pacientes imunodeprimidos ou com SIDA. os microrganismos se ligam à borda em escova, levando ao desaparecimento desta borda e causando diarreia secretória. Não existe terapia específica. A sorte é que esta diarreia é autolimitada.

Fonte: Rosemary Aráujo