A saúde intestinal depende de vários fatores, como manter uma alimentação adequada, uma ingestão suficiente de água, uma boa higiene corporal (nem demais, nem de menos) e também evitar o uso de antibióticos – que devem ser tomados apenas com prescrição e acompanhamento médicos.

Segundo o cirurgião do aparelho digestivo Fábio Atui e o nutrólogo Antonio Lancha Jr., para ter um intestino funcionando bem é indicado consumir alimentos chamados "probióticos", que servem de comida para as "bactérias do bem". Naturalmente, eles são encontrados em sementes e raízes de alguns vegetais, mas também podem ser ingeridos por meio de remédios. São exemplos de probióticos: maçã, cebola, alho, trigo, alcachofra, aspargo, banana, tomate, aveia e cevada.

Com isso, a população de bactérias que vivem no nosso corpo – conhecida como "microbiota" – fica em harmonia. O desequilíbrio delas, porém, pode provocar um processo infeccioso. No intestino, esse processo causa diarreia, prisão de ventre e/ou inflamações. De acordo com Atui, estudos recentes apontam que essa desregulação no intestino está ligada a problemas de saúde como alergias, obesidade, doença inflamatória intestinal e síndrome do cólon irritável.

Antibiótico quando atrapalha

Ao tomarmos um antibiótico, é possível que ocorra um desequilíbrio das bactérias intestinais. Isso pode desencadear uma doença chamada colite pseudomembranosa, que pode ser tratada com outro antibiótico, mas nem todos os pacientes recebem bem esse tipo de tratamento.

Outro artifício para tratar o problema é trocar as bactérias do intestino da pessoa, o que é feito por meio de um transplante de fezes.

Infarto do intestino

E não é só o coração que pode infartar: o intestino também. Esse problema grave pode até matar se o socorro não for rápido.
Quando o intestino infarta, ele para de receber sangue e necrosa. Aí é preciso fazer uma cirurgia para retirada de uma parte do intestino, além de passar por um período de recuperação.

Para entender como o problema ocorre, é preciso saber que a artéria sai do coração bem grossa e vai se estreitando até chegar ao intestino. Ao todo, existem três ramos principais que irrigam o aparelho digestivo. Quando o indivíduo sofre uma doença arterial, corre o risco de uma veia entupir.

Se essa for uma das veias que irrigam o intestino, pode faltar sangue na área e bloquear a passagem de oxigênio e nutrientes daquela região, levando ao infarto do intestino, que vai ficando escuro, perdendo sangue e sendo menos irrigado. Então vem uma dor abrupta no abdômen. Quanto maior o calibre da veia, maior é a área atingida e pior o problema.

Microbiota – Efeitos sobre os medicamentos

Atualmente é bem aceito que a consideração de farmacogenética é essencial para a produção e administração de agentes terapêuticos. Com o nosso conhecimento crescente das funções e composição da microbiota, o conceito de farmacogenética deve ser expandida em farmacometabonomica, que incluem a contribuição de hospedeiros e da microbiota ao metabolismo de fármacos.

Compostos alimentares – Além da contribuição da microbiota de metabolismo de fármacos administrados com fins terapêuticos, ela, também tem a capacidade de metabolizar certos compostos alimentares em formas ativas metabolicamente que influenciam vários aspectos de saúde do hospedeiro. Por exemplo, as espécies de Bifidobacterium conjugam o ácido linoleico, que tem uma grande variedade de efeitos biológicos. Outro exemplo são os Oxalobacter formigenes que têm a capacidade de degradar os oxalatos na dieta, reduzindo a excreção urinária de oxalato de cálcio, o que provocou a sua utilização com sucesso, em ensaios clínicos, como uma opção terapêutica e profilática em nefrolitíase oxalato de cálcio e insuficiência renal associada.

Compostos tóxicos – Os "habitantes" do nosso intestino pode ser inestimável valor na prevenção de efeitos adversos após a exposição inadvertida do meio ambiente para os compostos tóxicos. Exemplo, a toxicidade da hidrazina, um composto altamente tóxico utilizado em uma variedade de processos industriais, é grandemente reduzida pela microbiota intestinal.

xenobiótico – O xenobiótico é qualquer substância química ou molécula estranha ao sistema biológico, originada externamente, exemplo medicamentos, ou internamente a ele.

Fonte: G1