Uma startup americana está trabalhando em um novo método contraceptivo. É um chip que pode ser controlado remotamente sem fio.

A MicroCHIPS, sediada em Massachusetts, nos Estados Unidos, pretende lançar o produto em 2018. Antes disso, o chip passará por testes clínicos. A empresa trabalha desenvolvendo tecnologia para o mercado médico.

Entre seus produtos estão sistemas para consultas médicas à distância. O chip deverá ser implantado por baixo da pele em regiões como abdômen ou o braço. Suas medidas são 20 x 20 x 7 milímetros.

Ele funciona liberando diariamente uma dose de hormônio, o levonorgestrel, que já é utilizado em uma série de contraceptivos. Sua grande inovação é a capacidade de que seja controlado remotamente.

Com os comandos, será possível desativar o contraceptivo e ativá-lo com poucos cliques. Isso também será interessante para que médicos possam reajustar a dosagem que é liberada no corpo da paciente sem que seja preciso fazer uma cirurgia.

Curiosamente, a ideia para o contraceptivo surgiu após a visita de Bill Gates aos laboratórios de Robert Langer no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). O visitante perguntou a Langer se seria possível criar um contraceptivo que pudesse ser ativado e desativado pela mulher.

O professor do MIT, que faz parte do corpo de diretores da startup, desenvolveu o implante com alguns colegas. A tecnologia foi, então, licenciada à MicroCHIPS, que agora trabalha nela para chegar a um produto final.

Fonte: Info Abril