O espermograma é um exame que visa analisar as condições físicas e químicas do sêmen humano e as propriedades dos espermatozoides, avaliando as condições dele para fertilizar o óvulo feminino. Geralmente ele é feito na tentativa de devolver ao homem a capacidade de procriar e de diagnosticar a natureza da sua incapacidade, quando houver, muitas vezes permitindo tratá-la.

O espermograma ajuda a avaliar as funções dos testículos e das glândulas seminais, servindo também para monitorar a fertilidade, após uma cirurgia de vasectomia.

O paciente deve ficar de três a cinco dias sem manter relações sexuais e abster-se de outra forma qualquer de ejaculação, porque tanto a qualidade, quanto a quantidade dos espermatozoides são afetadas por ela (se o exame for feito para monitorar vasectomia, não é necessário abster-se de ejaculação). De regra, nenhum outro preparo é necessário. Em raros casos em que se deseja dosar a frutose, alguma recomendação pode ser feita quanto à dieta.

Consiste em colher o sêmen num frasco de boca larga, esterilizado, através da masturbação realizada em sala especialmente preparada para este fim. Após a coleta, o sêmen será analisado macro e microscopicamente. Para aqueles que se sintam muito constrangidos em colher o material num laboratório, ele pode ser colhido em casa, mas deve ser mantido aquecido e levado ao laboratório o mais rapidamente possível (dentro de 60 minutos após a coleta, no máximo). Essa opção, no entanto, deve ser evitada.

Em virtude da grande variabilidade apresentada pelo exame e das múltiplas influências físicas e psicológicas a que ele está sujeito, ele deve, idealmente, ser repetido mais duas vezes, num espaço de quinze dias entre cada realização. Os espermatozoides são então avaliados quanto à sua forma, quantidade e mobilidade.

Normalmente, o exame é feito no decorrer de uma investigação de infertilidade de um casal ou por homens suspeitos de infertilidade ou que se saiba serem inférteis, para determinar a natureza dessa infertilidade.

Para que se dê a produção de um novo ser é necessário que o espermatozoide seja capaz de alcançar e fertilizar o óvulo. Para isso, ele precisa ter uma série de propriedades, como movimentos bem direcionados, formato adequado e capacidade de penetrar no interior do óvulo. O exame é feito para avaliar esses parâmetros ou para monitorar uma vasectomia.

Fonte: ABC med