A Hidatidose é uma doença parasitária causada por parasitas do grupo tênias chamadas de Echinococcus granulous. A doença pode atingir tanto o homem como os animais e se caracteriza pelo aparecimento de cistos em diversas partes do corpo. O rompimento de tais cistos provocam choque anafilático no indivíduo acometido e pode levar ao óbito.

A contaminação do seres humanos é dada após o contato com fezes de animais, principalmente cães, contaminados com o parasita. O homem também pode se contaminar ao ingerir vegetais contendo ovos e larvas do parasita ou água contaminada. A doença afeta principalmente órgãos como o fígado, o pulmão e o cérebro, que podem adquirir cistos que crescem de 1 a5 cm ao ano e podem atingir o tamanho de uma bola de futebol.

O sintomas da Hidatidose podem variar de acordo com a localização e o tamanho dos cistos de cada indivíduo. Dores abdominais, fadiga, febre, alergias, tosse, lesões na pele, crises asmáticas, dor de garganta, coceiras e náuseas são alguns dos principais sinais da doença. Os sinais costumam aparecer rapidamente, porém é necessário ficar atento para evitar que os cistos evoluam e cresçam de maneira que possa complicar o quadro do paciente.

É difícil diagnosticar a Hidatidose, principalmente pela lentidão do crescimento dos cistos. Porem, o diagnóstico pode ser feito através de exames de rotina, raio-X, tomografia computadorizada ou ecografias. Exames que verificam a Reação de Casoni também ajudam o paciente na identificação dos cistos. Os exames de imagem são realmente os mais seguros para a identificação dos cistos e o diagnóstico seguro deve ser feito a partir deste exames.

A prevenção da doença se faz, basicamente, com a higienização e o tratamento com cães possivelmente contaminados. Medicar e vermifugar, sempre, todos os cachorros com os quais se tem contato reduz e muito todas as possibilidades de contágio com o parasita. Deve-se evitar que animais ingiram alimentos e carnes crus. Outros cuidados básicos de higiene e de saneamento básico, também ajudam na prevenção, tanto de cães, como de humanos. Utilizar somente água filtrada para o consumo e ingestão, evitar a ingestão de vegetais crus sem saber seu procedimento, lavar bem os alimentos antes de consumir e lavar bem os pés e as mãos depois do contato com animais e antes de manipular alimentos, são outras medidas simples que ajudam na redução do risco de contaminação e acometimento pela Hidatidose.

O tratamento para a Hidatidose pode ser feito com a ingestão de medicamentos parasitários. O mebendazol, o praziquantel e o albendazol são medicamentos que penetram nos cistos e eliminam os parasitas do organismo. Em casos mais graves, de cistos bem evoluídos, recomenda-se a cirurgia para a retirada, porém, em casos de muitos cistos a cirurgia é contraindicada por representar um risco grande para o paciente. E importante ressaltar que a intervenção cirúrgica é sempre o método mais recomendado, porém é necessária a rápida detecção da doença no diagnóstico para evitar que o método possa representar risco ao paciente.

Fonte: Saude Dicas