É nesta estrutura (FOTO), pouco mais espessa que um fio de cabelo, que os Peritos Criminais conseguem separar os fragmentos de DNA por tamanho da molécula.

Estudando regiões polimórficas do DNA é possível individualizar a evidência biológica, apontando a probabilidade de quem contribuiu para aquele perfil genético.