A alergia ou reação de hipersensibilidade é uma resposta imunológica exagerada, que se desenvolve após a exposição a um determinado antígeno (substância estranha ao nosso organismo) e que ocorre em indivíduos suscetíveis (geneticamente) e previamente sensibilizados.

Cerca de 20% dos adultos sofrem com algum tipo de doença alérgica, sendo que muitos indivíduos desenvolvem as alergias durante a infância, constituindo um problema de saúde pública significante.

Nosso organismo quando necessário, cria mecanismos imunológicos, para se proteger de corpos estranhos, como poeira, pêlo de animais, ácaros, pólen, fungos, parasitas, medicamentos, alimentos, entre outros. Esses corpos estranhos denominados de alérgenos estimulam a produção de um anticorpo chamado de Imunoglobulina E (IgE), encontrado no soro sanguíneo em baixas concentrações, presente na membrana de superfície de basófilos e mastócitos em todos os indivíduos.

Os anticorpos da classe IgE são responsáveis pelos fenômenos anafiláticos em várias espécies, e particularmente no homem. Com concentração extremamente baixa no soro, os conhecimentos sobre a estrutura da sua molécula foram possíveis graças ao encontro de pacientes com mieloma de IgE.

Em torno de 50% dos pacientes com doenças alérgicas tem altos níveis de IgE. A específica interação entre o antígeno e a IgE ligada no mastócito resulta em liberação de histamina, leucotrieno, proteases, fatores quimiotáxicos e citocinas. Esses mediadores podem produzir broncoespasmo, vasodilatação, aumento da permeabilidade vascular, contração de músculo liso e quimioatração de outras células inflamatórias (eosinófilos, por exemplo).

Causas

Principais agentes que provocam alergia ou hipersensibilidade:

  • Ácaros e baratas
  • Mofo (fungos)
  • Epitélio (pele) e pelos de animais (gatos e cães)
  • Esporos de fungos e pólens de flores
  • Alimentos
  • Medicamentos

Tipos

Alimentar

  • Leite de vaca
  • Ovos
  • Amendoim
  • Soja
  • Peixes e frutos do mar
  • Nozes

Pele

Manifesta-se com lesões e coceira intensa. Em alguns casos, pode ser muito grave, acometendo o corpo inteiro.

Nariz

A inflamação alérgica da mucosa do nariz, conhecida como rinite alérgica, pode ocorrer de forma repetida. Sua principal causa são os alérgenos inalantes, como ácaros e poeira doméstica.

Vias respiratórias

A asma é uma doença acompanhada de inflamação alérgica das vias respiratórias. Também é conhecida como bronquite alérgica ou bronquite asmática. É provocada, principalmente, por:

  • Alérgenos e irritantes
  • Infecções de vias aéreas
  • Exercício físico inadequado
  • Refluxo gastro-esofágico
  • Medicações e alimentos
  • Causas emocionais, como a ansiedade

Ocular

A conjuntivite alérgica é a alergia mais comum, provocando irritação, vermelhidão, coceira e lacrimejamento dos olhos.

Sintomas de alergia

Principais sintomas da asma

  • Sensação de "aperto" ou opressão no peito
  • Falta de ar ou cansaço
  • Chiados no peito
  • Tosse, que pode acompanhar-se de eliminação de secreção (gosma branca)

Principais sintomas da rinite alérgica

  • Espirros repetidos
  • Coriza líquida e abundante
  • Coceira nasal insistente (ou coçam também os olhos, os ouvidos, céu da boca e garganta)
  • Mucosa nasal congestionada e narinas entupidas
  • Olhos avermelhados, irritados, lacrimejando e coçando
  • Sensação de escorrimento da secreção pela parte de trás do nariz, que pode provocar pigarro ou tosse insistente
  • Alteração do olfato e do paladar
  • Tosse crônica noturna
  • Sinusite
  • Amigdalites
  • Faringites
  • Otites repetidas

Diagnóstico de alergia

Para se diagnosticar uma alergia, além de se incluir um histórico cuidadoso de fatores ambientais ou hábitos alimentares, utiliza-se de exames clínicos e testes laboratoriais. Exames laboratoriais como, determinação de IgE total, determinação de IgE específico (para cada alérgeno) e determinação de IgE painel (para grupos de alérgenos), são utilizados rotineiramente.

Exame: IgE Total

Quantifica a IgE sugerindo ou não algum processo alérgico. Quando elevado não determina qual o alérgeno responsável.

Exame: IgE Específico

Teste in vitro que mensura o IgE alérgeno específico. É necessário uma amostra de soro, à qual será testada com uma, ou mais, das centenas de alérgenos específicos. Não é necessário remover do paciente anti-histamínicos ou outras medicações que ele possa estar tomando, em razão da mensuração do IgE específico não ser susceptível a interferência de drogas.

Exame: IgE Painel

Exame composto pela pesquisa de vários alérgenos de um mesmo grupo em um único teste. Resultado sugestivo de alergia indica que um ou mais dos alérgenos pertencentes ao grupo desencadeou uma elevação da IgE grupo específico. Resultado normal indica que nenhum dos alérgenos pertencentes ao grupo desencadeou uma elevação da IgE grupo específico.

Tratamento de alergia

É importante procurar um médico especialista, que irá pesquisar as causas da alergia e recomendar os remédios mais adequados para controlar a doença.

Complicações possíveis

Anafilaxia ou choque anafilático

É uma reação alérgica grave, que provoca acometimento de todo o organismo, dificuldade de respiração, perda de consciência e até a morte, quando não tratada imediatamente.

Fonte: Laboratório CACE | Minha Vida