Pesquisadores da MedUni Vienna (Universidade de Medicina de Viena), na Áustria, demonstraram que existe a possibilidade de detectar depressão por meio de um exame de sangue.

Embora exames de sangue tenham sido descartados recentemente para diagnóstico de doenças mentais, um estudo recente indica claramente que, em princípio, a depressão pode ser detectada pelo sangue e isso pode se tornar realidade em um futuro não muito distante.

A depressão é um transtorno grave e o diagnóstico um tratamento correto podem melhorar significativamente a qualidade de vida do paciente. O estudo indica que biomarcadores no sangue podem ser úteis no futuro para detectar a doença, graças à presença de serotonina no sangue.

A serotonina é uma molécula com uma grande variedade de funções. Ela é considerada um regulador de humor e é conhecida como "hormônio da felicidade". Os baixos níveis de serotonina muitas vezes estão ligados à depressão.

Transportadores de serotonina servem para garantir que o fluxo do hormônio chegue às células que precisem dele. Quando uma pessoa é diagnosticada com depressão, os médicos podem tentar atingir os transportadores prescrevendo inibidores que impedem que as células absorvam a serotonina para que ela fique livre. A esperança é regular os níveis hormonais e melhorar o humor.

Os pesquisadores descobriram uma correlação muito forte entre a serotonina e a rede neural afetada pela depressão. Isso pode significar que os níveis de serotonina no sangue pode ser usados como ferramenta de diagnóstico.
A equipe destacou que a descoberta é importante porque um diagnóstico da depressão feito com base biológica ajuda a garantir que o paciente receba as doses corretas dos medicamentos e tenha melhores resultados.

Fonte: R7 noticias