A brucelose, também conhecida como febre de Malta, de Gilbratar, febre mediterrânea ou febre ondulante, é uma doença infecciosa causada por diferentes gêneros da bactéria Brucella. Seu reservatório natural são os animais. Raramente ocorre a transmissão homem a homem. Três espécies causam a brucelose humana: Brucella melitensis (cabra), Brucella abortus (gado) e Brucella suis (porco).

A infecção é causada pela ingestão de leite ou queijo contaminado, ou pelo contato com a pele. Após a invasão do organismo, as Brucellae tendem a localizar-se nas células do sistema reticuloendotelial, medula óssea, gânglios, fígado, baço e rins, e, com menor freqüência, nos ossos, endocárdio e testículos.

O diagnóstico pode ser feito com auxílio de testes de identificação por cultura e detecção de anticorpos por reações de aglutinação. Os anticorpos aparecem na segunda ou terceira semana de doença.

Na fase aguda, títulos maiores ou iguais a 1/80 são considerados suspeitos e acima de 1/320, positivos. Na fase crônica, há o aparecimento de anticorpos incompletos, bloqueadores, exigindo a sensibilização com soro de Coombs para a avaliação. Títulos maiores ou iguais a 1/80 são considerados suspeitos e acima de 1/160, positivos. Os títulos devem ser interpretados com cautela em veterinários e funcionários que manipulam animais com freqüência.

Fonte: Bioinforme