Possui utilização limitada em amostras coletadas de local de crime. Isto se explica pela fragilidade das hemácias e problemas com a sensibilidade e especificidade da metodologia em amostras forenses.

O trabalho apresentado no IV Congresso Brasileiro de Genética Forense peritos do laboratório de Biologia e DNA da Polícia Científica de Goiás discutem estas limitações em um Relato de Caso.


[p]Leia mais na página 26 do link.