Trata-se de um estudo sobre os efeitos da infertilidade no relacionamento dos cônjuges, com os objetivos de descrever o perfil da população de estudo e analisar os efeitos da infertilidade na vida emocional, sexual e conjugal. Para tal, foi realizado um estudo transversal e prospectivo em instituição especializada. A amostra foi constituída por 50 casais inférteis com seis anos de infertilidade em média.

As mulheres manifestaram sentimentos negativos perante a infertilidade, enquanto os homens assumiram uma postura de suporte e apoio. Os efeitos na vida sexual foram mais expressivos nas mulheres, e o tratamento da infertilidade levou a mudanças positivas para ambos os cônjuges.

Ao comparar os efeitos da infertilidade sobre os indivíduos que haviam realizado mais de um tratamento com aqueles no primeiro tratamento, observamos que não houve diferenças entre as mulheres; entre os homens houve diferenças no aspecto emocional (frustração e alívio) e no relacionamento conjugal (fortalecimento e amadurecimento).

Fonte: Scielo

.