Assim ficou conhecido o golpe no Brasil. Nele o infrator adiciona uma substância à bebida da vítima para praticar roubo e/ou violência sexual. As drogas causam hipnose, sedação e amnésia e seus efeitos são potencializados com o uso do álcool.

As substâncias mais utilizadas são benzodiazepínicos (diazepam, flunitrazepam, clonazepam etc.) e o GHB (ácido gama-hidroxibutírico).

O Exame Pericial de comprovação do golpe é realizado pela identificação de altas dosagens destas substâncias na vítima.