Por vezes, uma válvula cardíaca natural que não está a funcionar apropriadamente necessita de ser substituída cirurgicamente por uma prótese valvular, que é um substituto de tecido ou sintético que tem por objectivo imitar os movimentos normais de abertura e de encerramento da válvula natural.

Uma prótese valvular pode substituir qualquer das quatro válvulas cardíacas ― aórtica, mitral, pulmonar e tricúspide.

As próteses valvulares cardíacas são divididas em duas categorias básicas: válvulas mecânicas sintéticas e válvulas biológicas de tecido humano ou animal.

De um modo geral, as válvulas biológicas são menos duráveis do que as válvulas mecânicas, tendo uma maior probabilidade de sofrer desgaste e de necessitar de substituição.

Por este motivo, as válvulas biológicas são utilizadas mais frequentemente nas pessoas com idades a partir de 65-70 anos, uma vez que a sua esperança de vida é mais baixa.

Fonte: Programa Harvard