A detecção do câncer de colo do útero por meio do uso de vinagre (ácido acético) é uma técnica simples e barata que pode salvar milhares de mulheres em países mais pobres, segundo um grande estudo clínico feito com 150 mil pacientes na Índia ao longo de 15 anos. Os resultados foram apresentados no domingo (2) nos Estados Unidos, durante a conferência anual da Sociedade Americana de [p]Oncologia Clínica (Asco, na sigla em inglês).

A pesquisa foi conduzida com indianas entre 35 e 64 anos de idade, examinadas a cada dois anos. Segundo os autores, os testes indicaram uma redução de 31% na taxa de mortalidade provocada pelo câncer de colo do útero graças ao exame. Esse método de identificação de câncer é chamado de detecção visual e consiste no uso de vinagre, gaze e uma lâmpada incandescente. Também exige formação básica para enfermeiros ou profissionais de saúde.

No exame, o profissional esfrega vinagre no colo do útero da mulher, o que faz com que os tumores pré-cancerígenos fiquem brancos. Os resultados são apresentados um minuto depois, quando a luz da lâmpada é utilizada para inspecionar visualmente a região. Além da enorme redução de custos, o diagnóstico instantâneo é uma grande vantagem para pacientes de áreas rurais que precisam viajar horas para receber atendimento médico.

Mortes a serem evitadas

Os pesquisadores estimam que esse simples teste poderia ser capaz de salvar anualmente 22 mil vidas na Índia e 73 mil em outros países em desenvolvimento, onde o câncer de colo do útero é uma das principais causas de mortalidade entre as mulheres. Nesses países, há pouco ou nenhum acesso ao papanicolau, procedimento mais usado no mundo para detecção da doença, ao visualizar mudanças das células do colo do útero que podem se tornar cancerígenas.

"Esperamos que os resultados desse estudo tenham um efeito importante na redução do número de casos de câncer de colo do útero na Índia e no mundo", disse o principal autor do trabalho, Surendra Srinivas Shastri, médico e professor de oncologia preventiva do hospital Tata Memorial de Mumbai.

De acordo com Shastri, o exame desenvolvido por sua equipe "permite reduzir a mortalidade e pode ser facilmente colocado em prática em larga escala na Índia e nos demais países em desenvolvimento". As 150 mil mulheres recrutadas para a pesquisa não tinham antecedentes da doença. Metade delas foi submetida a um exame a cada dois anos com vinagre e a outra metade não fez nenhum teste, situação mais comum na Índia.

A incidência de câncer de colo do útero foi similar nos dois grupos: 26,5 por 100 mil casos nas mulheres submetidas aos testes de detecção e 26,7 por 100 mil nas outras. O câncer de colo do útero, para o qual existe prevenção, é responsável por 275 mil mortes por ano no mundo, sendo 80% dos casos registrados nos países em desenvolvimento.

Fonte: G1